Esta era a corrida em que o título mundial podia ficar selado da parte de Lewis Hamilton, e depois da qualificação, parecia o mais certo, o britânico em pole position e Sebastian Vettel em quinto lugar, até que surge Kimi Raikkonen…

Numa primeira volta de loucos, o Finlandês Voador colocou-se na primeira posição logo na primeira curva e mais atrás era o caos total, Lance Stroll da Williams chocava contra Fernando Alonso, deixando o Mclaren danificado de mais para continuar. A loucura continua quando Romain Grosjean embate no Sauber de Charles LeClerc eliminando-se a si próprio como consequência, no entanto este momento acaba abafado porque logo a seguir, Vettel, numa tentativa de ultrapassar Daniel Ricciardo volta a chocar contra um Red Bull, mais uma vez ficando virado para o lado errado da pista e caindo para o 14.º lugar.

Após este inicio de corrida, tudo acalma por momentos, até que na volta oito o motor do Red Bull de Ricciardo volta a falhar, mais um capítulo no pesadelo que é o final de época do australiano. Como consequência, o Safety Car Virtual é implementado e o único que tenta aproveitar é Lewis Hamilton.

Com pneus mais frescos, o britânico tenta recuperar o seu primeiro lugar, mas pelo caminho tem um Kimi Raikkonen que parecia ter transformado o seu Ferrari num autocarro, tal a excelência com que se defendia do Mercedes. Hamilton apenas consegue ultrapassar o finlandês quando este entra nos pits, para a sua única paragem. A partir daqui, Lewis mantem-se na frente, mas sem nunca ganhar tempo ao Kimi, pelo contrário, os seus pneus, bem gastos após a batalha com o Ferrari, começam a ceder e Hamilton vê-se obrigado a voltar à pit lane, caindo para o quarto lugar, atrás de Bottas, Verstappen e Raikkonen.

O finlandês da Mercedes não deixa o seu parceiro com pneus mais frescos perder tempo e permite que Hamilton ultrapasse sem luta para perseguir o Holandês da Red Bull. O que aconteceu nas voltas seguintes foi impróprio para cardíacos. Como o mercedes tinha os pneus mais frescos, rápido se aproximou de Max Verstappen e Kimi Raikkonen, parecendo possível ultrapassar os dois, dada a diferença de velocidade.

Na penúltima volta, Hamilton tenta a ultrapassagem a Max, que, com Vettel na quinta posição, lhe garantia o título, mas após uma batalha soberba com piloto da Red Bull, Lewis perde o controlo do carro e fica demasiado para trás, não conseguindo aproximar-se mais do holandês. Neste final de corrida eletrizante, Vettel ainda consegue compensar o seu erro de antes ultrapassando Valteri Bottas para o quarto lugar, adiando a coroação para o México, onde Hamilton precisa apenas de ficar em sexto lugar para ser o Campeão Mundial de Fórmula 1.

Foi uma das melhores corridas do ano, com muita ação e tensão até ao final, e um resultado surpreendente porque 112 corridas depois, Kimi Raikkonen volta a vencer. O finlandês é um dos pilotos mais adorados pelos fãs, e vê-lo no topo do pódio foi um momento muito feliz, principalmente tendo em conta que só tem mais três corridas pela Ferrari, e que é improvável que no próximo ano vá ganhar alguma corrida com a Sauber.

Um dos grandes destaques da corrida foi também Max Verstappen, que, após um inicio de época horrível tem estado fantástico, desta feita subindo de 18.º no inicio para o segundo lugar. Dia positivo para a Renault que reafirma a sua posição como a quarta melhor equipa com Hulkenberg e Sainz em sexto e sétimo respetivamente.

Quanto a Lewis Hamilton, a Mercedes tentou ser agressiva na estratégia, mas acabou por não correr tão bem quanto esperavam, não foi um desastre, foi só mesmo porque o Raikkonen e o Verstappen estiveram fenomenais. Mas fica para a próxima, basta um sexto lugar na próxima corrida do México e o Britânico é campeão mundial, isto foi só adiar o inevitável.

Fonte: F1

Piloto do dia – Fiquei tentado a dividir este prémio entre o Max Verstappen e Kimi Raikkonen, mas apesar da felicidade que sinto em ver o finlandês a vencer, tenho de ir para o piloto da Red Bull. Outra corrida fenomenal em que revelou o porquê de ser considerado um futuro campeão, conseguir chegar ao segundo lugar após começar em 18.º é algo que só pode ser conseguido por um grande piloto, e se a próxima época começar como esta termina, cuidado com o Holandês.

Foto de Capa: F1

Comentários