Anterior1 de 7Próximo

Caso tenham passado esta semana debaixo de uma rocha (é uma forma legítima de confinamento), foram anunciadas várias mudanças nas equipas para a época de Fórmula 1 de 2021.

Tudo começou com murmúrios vindos da Alemanha de que Sebastian Vettel e a Ferrari não tinham chegado a acordo para uma renovação, sendo confirmado no dia seguinte pela equipa a veracidade dos rumores. Isto ativou a chamada “silly season” sem sequer termos visto os carros em pista competitivamente. Graças a esta mudança, Carlos Sainz foi anunciado na Ferrari, e para o seu lugar na McLaren vai Daniel Ricciardo, mas o artigo de hoje não se foca neles, mas sim em Vettel e na Ferrari.

Um alemão vestido de vermelho trazia memórias de domínio absoluto e, nos primeiros tempos, parecia que a relação tinha tudo para crescer, mas cinco anos depois, chegamos a 2020, e chegamos ao divórcio, sem o tão prometido título. Mas afinal, porque é que surge esta separação?

Anterior1 de 7Próximo

Comentários