Anúncio Publicitário

O MotoGP está de volta com a primeira prova a ser o Grande Prémio de Espanha, a ser realizado no circuito de Jérez. Para 2020, as coisas serão ainda mais renhidas, tal como a Carolina Neto já nos tinha explicado.

Mas, vamos ao que interessa, o Grande Prémio de Espanha. Yamaha e Honda parecem estar bem encaminhadas. Mas, Valentino Rossi, ainda está com muitas dificuldades com a M1. Na Honda, Marc Márquez segue bem, apesar de ambos os pilotos terem dito que, basicamente, ainda estão a pilotar a moto de 2019. Já Alex Márquez parte de 20º no seu primeiro Grande Prémio de MotoGP, batendo apenas o outro estreante Iker Lecuona, na KTM Tech3.

Anúncio Publicitário

Na Yamaha, a M1 oficial parece estar feita para Maverick Vinales, que conseguiu um segundo lugar na classificação. Mas, a surpresa é a Yamaha Petronas. Fabio Quartararo apareceu em Espanha com a lição bem estuda e levou a equipa até à pole position, que conquistou na última volta da sessão.

Falando do que me surpreendeu: a KTM e a Aprillia. Ambas as marcas deram um passo em frente do que toca ao desenvolvimento das suas motos. Logo no primeiro treino livre Pol Espargaro colocava a KTM oficial na oitava posição, com a nona e décima posição a serem ocupadas por KTMs.

Já a Aprilia conseguiu confirmar os rápidos progressos com a RS-GP 2020, mas também foi mais prejudicada por questões de fiabilidade, uma ocorrência totalmente comum para a equipa e que têm de ter em atenção para retirar melhores resultados. Apesar destes progressos, na qualificação Aleix Esparagaro é o melhor em 16 lugar.

Estes são os positivos até agora. Quanto ao menos bom, posso colocar aqui a Ducati, mais propriamente, as Ducati oficiais. Os pilotos de fábrica, Danillo Petrucci e Andrea Dovizioso têm trabalho adicional a entender o pneu traseiro da Michelin. Claro que estes estão melhores, mas eles precisam de um traseira melhor para poderem usar a arma da Desmodici, a potência e a sua aceleração. Petrucci não conseguiu sair da Q1, enquanto Dovisiozo sai de oitavo.

Continuando a falar da Ducati, na Pramac as coisas vão de ‘vento em popa’. Jack Miller, apesar de uma queda, sai de quinto, enquanto Francisco Bagnaia colocou-se na quarta posição. Tal como acontece na Yamaha, parece que as equipas satélite estão melhores.

Por fim, Miguel Oliveira levou a sua KTM Tech3 até à 17º posição para a grelha de partida de amanhã. Oliveira consegue sempre fazer boas recuperações, vamos ver se consegue ficar entre os dez primeiros com as evoluções na sua moto.

A grelha para o Grande Prémio de Espanha
Fonte: MotoGP

Foto De Capa: Petronas SRT

Anúncio Publicitário