A CORRIDA: #FRANKYSAYSRELAX

É a hashtag do momento e aquela que melhor define a prova de hoje. Um novo vencedor do Moto GP numa autêntica masterclass de Franco Morbidelli a parecer Marc Márquez nos seus dias de inspiração.

Depois da paragem, o mundial de motociclismo (europeu, como diria o saudoso Casey Stoner), voltou ao asfalto do Circuito Marco Simoncelli para mais um fim-de-semana de emoção… ou então, não.

Se 2020 nos tinha habituado a emoção do início ao fim, a verdade é que hoje ao vermos este grande prémio quase que temos um pequeno deja vu das corridas de Marc Márquez onde o piloto chegava e vencia.

Morbidelli deu uma de Márquez, assaltou a primeira posição logo no arranque da prova e por lá ficou até à bandeirada de xadrez, o que lhe valeu a primeira vitória da carreira na categoria rainha do mundial de motociclismo. Ao ocupar o lugar mais alto do pódio, o piloto da Petronas Yamaha SRT tornou-se no quinto vencedor diferente de 2020. Se não está tudo louco por aqui…

Anúncio Publicitário

Quanto à corrida… diria que não podia ter sido tão sem sal. É verdade que a fuga de Morbidelli não ajudou à emoção, mas a verdade é que vimos poucas ultrapassagens e momentos de nos tirarem o fôlego. Mais uma vez, a emoção ficou reservada para as últimas curvas onde Joan Mir roubou o terceiro lugar a Valentino Rossi com uma ultrapassagem de mestre. Ironia do destino, diria eu.

Mas a verdade é que, me arrisco a dizer, que este foi uma das provas mais consistentes de Valentino Rossi e que quase nos mostrou que a Yamaha tinha conseguido resolver todos os problemas que tem.

O italiano queria alcançar o 200º pódio na sua home race, e a verdade é que andou lá muito perto. Cheguei mesmo a pensar, que o italiano tinha armas para lutar pela vitória mano a mano com Morbidelli, mas depressa se percebeu que não.

Mir percebeu que Rossi estava em dificuldades e não teve dó nem piedade ao ultrapassar o Il Dottore a poucos metros da reta da meta. Fechando assim o pódio, depois de Morbidelli alcançar a vitória seguido de Peco Bagnaia que esteve implacável e também já tinha ultrapassado Valentino Rossi.

Quanto ao mundial, Fabio Quartararo parece ter deitado tudo a perder com a queda neste fim de semana e a inconsistência que tem apresentado. Quem aproveitou foi Andrea Doviziozo que com o sétimo lugar conquistado hoje, lidera o mundial com mais seis pontos que Quartararo.

Não esquecendo Miguel Oliveira que acabou por terminar a prova no 11º lugar, depois de além de sair da quarta linha da grelha de partida, ter tido um mau arranque. Parece que foi um fim de semana para esquecer tanto para o Português como para a própria KTM. Fica, sem dúvida, um amargo de boca depois da vitória na Áustria.

Foto de capa: Petronas SRT