Cabeçalho modalidadesNo fim do primeiro dia de testes em Jerez de La Frontera, Miguel Oliveira mostrou que tem uma moto rápida, mais rápida do que todos estávamos à espera. Com a nova KTM, em Moto2, efetuou, na segunda sessão, a volta mais rápida do dia (1:42.316), num total de 49 voltas ao circuito andaluz.

“Foi um dia muito positivo pois conseguimos ser rápidos logo na primeira sessão e na seguinte conseguimos mesmo o melhor tempo do dia, algo que não esperava porque não era esse o objetivo. Os tempos nos testes valem o que valem e não podemos depender apenas desse registo, mas sabe muito bem saber que temos uma moto rápida”.

Pode ser um ótimo indicador para a época que se aproxima, mas não podemos esquecer que os azares acontecem, tal como foi o caso da terceira e ultima sessão do dia, em que teve uma queda ao fim de quatro voltas.

“Foi uma queda em alta velocidade, mas sem consequências físicas felizmente. O asfalto estava muito quente e isso originou muitas quedas durante a sessão da tarde e bastou sair um pouco fora da trajetória normal para não evitar a queda. Optámos junto com a equipa por reconstruir a moto e retomar o nosso trabalho no dia de amanhã”, revelou Miguel Oliveira.

Felizmente, a queda não provocou nenhuma lesão e, como tal, irá continuar amanhã a lutar por um resultado ainda melhor.

“Não vamos alterar em nada a nossa forma de trabalhar. Amanhã, eventualmente, faremos uma saída mais longa para simular uma corrida, mas vamos continuar a fazer sempre saídas com quatro ou cinco voltas como até aqui. Sabemos que temos uma boa afinação base e agora vamos experimentar coisas distintas para perceber se podemos melhorar ou não. A saída mais longa servirá para perceber como reage a moto com um maior número de voltas acumulado”.

  

Tabela dos tempos combinados ao fim do primeiro dia
Tabela dos tempos combinados ao fim do primeiro dia

O resultado final do primeiro dia só pode ser bastante positivo, Miguel Oliveira foi o mais rápido seguido de Takaaki Nakagami (1:42.503) e de Matia Pasini, que fez o terceiro melhor tempo (1:42.842). Brad Binder, companheiro de equipa de Oliveira, a recuperar de uma lesão do ombro, ficou apenas com o 11º lugar.

No entanto, ainda estamos no final do primeiro de três dias e acredito que amanhã já outros nomes irão aparecer para fazer frente ao nosso piloto. Depois destes três dias, existirá apenas mais um derradeiro teste, já no Qatar, antes do primeiro GP do ano no circuito de Losail, a 26 de Março.

O que é certo é que o nosso piloto tem feito um início de pré temporada muito bom, e que, sem azares como o da terceira sessão e com alguma sorte com a recente KTM, acredito mesmo que este seja o ano de afirmação do Miguel Oliveira, o ano que o poderá mesmo levar ao ansioso título de campeão.

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Comentários