Anterior1 de 2Próximo

Sem muitas dúvidas, foi e será a melhor corrida do ano. Alias, hoje faço uma pequena confidencia, ao ver a corrida do Miguel Oliveira, disse em mensagem que hoje acreditava que Márquez fosse fazer uma grande corrida. Enganei-me, não foi apenas Márquez, foram todos. Posso mesmo puxar isto às corridas de Moto3, ao Miguel Oliveira em Moto2 e acabar no MotoGP, que loucura.

Roda viva de alterações de lugares
Fonte: MotoGP

Quem me conhece sabe que adoro a maneira de conduzir daquele espanhol, que melhor do que ele, apenas reconheço o tal senhor que se dedicou à pesca. Isto porque, apesar de gostar de forma idêntica do Doohan, era-me difícil ver as corridas in loco naquela altura.

Basicamente tenho meu top de pilotos que me identifico a conduzir motos, e nota, não me esqueci do Valentino Rossi, simplesmente sempre preferi ver alguém que lhe desse luta. Até porque cá por casa toda a gente gosta do 46, portanto tinha de ser do contra.

Depois de uma breve introdução, quero apenas dizer que este fim de semana foi provavelmente o melhor que vi de todos os pilotos. Foi algo de surpreendente, sem ninguém conseguir, mesmo durante a corrida apostar de forma segura quem ia ganhar. Damn… Que corridas!

Vamos ao filme do MotoGP. Tivemos quatro marcas diferentes (Honda, Ducati, Yamaha e Suzuki) a lutar pelos cinco primeiros lugares ao longo de toda a corrida, com várias ultrapassagens.

Márquez sai da pole, e assume o comando, e logo atrás tinha o “novo” Jorge Lorenzo que saiu da décima posição e fez um arranque fantástico, chegando mesmo à liderança pouco tempo depois, aproveitando o ímpeto de duas vitorias seguidas. Crutchlow, que arrancou de segundo caiu vários lugares ao fim da primeira volta, e Valentino Rossi que saiu de segundo perdeu apenas um lugar, no entanto tinha logo atrás, Dovizioso e Rins.

Corrida ao rubro
Fonte: MotoGP

Não vou conseguir descrever as inúmeras ultrapassagens, mas vou comentar os momentos mais importantes. Com a corrida bastante intensa, e com Lorenzo já no comando com Rossi logo atrás, existe um momento em que em plena curva 13, Lorenzo travou, e Rossi foi surpreendido e tocou na roda e na traseira da Ducati. Felizmente, ambos continuaram a corrida sem grandes mazelas. No entanto, o italiano perdeu de seguida duas posições e passou para quarto, atras de Lorenzo, Márquez e Dovizioso. Rins aproveita e para além de passar Rossi, consegue também surpreender Dovizioso que se estava a tentar mostrar a Márquez.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários