Cabeçalho modalidadesEspetáculo foi o que não faltou na abertura do campeonato do mundo de ralis. O histórico Rali de Monte Carlo brindou-nos com estradas cobertas de gelo, neve e alcatrão limpo. Houve de tudo, carros nas valas, peões e alguns acidentes.

O Shakedown poderia prever o que teríamos durante estes quatro dias? Não. Thierry Neuville foi o mais rápido e o campeão do mundo, Sébastien Ogier, só passou em sétimo.

Primeiro dia muito acidentado. Neuville foi a primeira baixa. Nas especiais noturnas, caiu numa vala, o que fez com que perdesse muito tempo. Os seus colegas da Hyundai foram os que tiveram menos problemas e acabaram em segundo (Andreas Mikkelsen) e terceiro (Dani Sordo – o escolhido para esta ronda para conduzir o terceiro carro sul-coreano). Com piso muito difícil e o fator noite, todos tiveram problemas. Mas quem saiu em primeiro foi Ogier, apesar de um pião, mostrando o porquê de já ser quatro vezes vencedor desta mítica prova. O WRC2 viu Eric Camilli a M-Sport liderar no primeiro dia, seguido dos veteranos Jan Kopecký e do francês Stéphane Sarrazin.

Segundo dia, recuperação para Neuville, que subiu de décimo sétimo para nono, com três vitórias em especiais. Mas o dia pertenceu a Ott Tanak, piloto que se transferiu da M-Sport para a Toyota Gazoo Racing. Este levou o Toyota Yaris WRC de quinto para segundo, ficando a cerca de quinze segundos de Ogier. Ogier, que a um ponto deste segundo dia tinha uma vantagem de cerca de trinta segundos, mas mais um erro fez-lhe perder tempo. No WRC2, azar para a M-Sport, ambos os seus pilotos saíram de estrada, pondo o Skoda Fabia R5 de Kopecký em primeiro. De notar a desistência com problemas no alternador de Mikkelsen, que viria a regressar no terceiro dia sob as regras do rally2.

Fonte: WRC
Fonte: WRC

Terceiro dia de Ogier. Apesar dos pequenos esforços de Tanak, o cinco vezes campeão do mundo estendeu a sua liderança para cerca de trinta e quatro segundos, apesar de não ganhar nenhuma especial. Este terceiro dia pertenceu à Hyundai com três vitórias em cinco especiais, mostrando assim que o i20 Coupe WRC é muito competitivo.

Anúncio Publicitário

O quarto dia, na classificação geral quase nada mudou. Kris Meeke acabou conseguindo o quarto lugar na geral e dez pontos adicionais com a vitória na Power Stage. Já Ogier venceu uma especial e Neuville com duas vitórias fez-nos pensar se não fosse o erro na primeira especial, o piloto belga teria lutado com Ogier e Tanak até ao fim.

Uma primeira prova muito interessante, onde apesar de sairmos com o mesmo vencedor, vimos a Toyota a provar o seu ritmo. A Hyundai apesar de ter tido um Monte Carlo menos favorável, acho que irá comprovar o seu valor durante esta temporada. A Citroen, apesar de ter conquistado um quarto lugar e uma vitória na Power Stage, ficou muito aquém das espetativas. No WRC2, muita má sorte para M-Sport, com Camilli e Teemu Sunninem, deixando o caminho aberto para a vitória de Kopecký.

Foto de Capa: WRC

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro