cab desportos motorizados

Há cerca de três semanas, a Toyota anunciou o desenvolvimento do TMG GT86 CS, para a categoria de R3, que, em 2014, passará a chamar-se RC3. Uma notícia recebida com muito agrado por todos os amantes de ralis. Mas uma ainda melhor chegou ontem: a marca japonesa vai construir um Yaris WRC, o que indica que o regresso ao WRC pode estar para breve. Para já, apenas está confirmada a construção do carro e os respetivos testes para o próximo ano, o que garante que apenas em 2015, na melhor das hipóteses, a formação nipónica voltará à elite dos ralis mundiais.

Mas, afinal, qual o porquê de toda esta satisfação com o regresso da Toyota? Basicamente porque foi, muito provavelmente, a equipa mais marcante da década de 1990; os amantes da Subaru e Mitsubishi que me perdoem, pois foram também equipas muito marcantes.

A Toyota, quando, em 1988, apostou no Celica GT-Four, deu um passo que mudou para sempre a sua relação com os ralis. A primeira geração do carro, o ST165, estreou-se nesse mesmo ano no Tour de Corse. Foi preciso esperar mais de um ano para a primeira vitória, que aconteceu em 1989, no Rali da Austrália, por Juha Kankkunen. Depois deste triunfo, a Toyota conseguiu mais 29 vitórias com as três versões do Celica, até 1995. Além destas conquistas em ralis, conseguiu quatro títulos de pilotos por Carlos Sainz (1990 e 1992), Juha Kankkunen (1993) e Didier Auriol (1994), assim como o título de construtores de 1993 e 1994.

Carlos Sainz no Rally de Portugal 1992. A versão ST 185 “deu” três titulos de pilotos e dois de construtores à Toyota. http://rallyazores.blogspot.pt
Carlos Sainz no Rally de Portugal 1992. A versão ST 185 “deu” três titulos de pilotos e dois de construtores à Toyota
Fonte: rallyazores.blogspot.pt

Em 1996, a equipa nipónica foi impedida de correr, por ter sido apanhada com um restritor de ar não permitido no Rali da Catalunha de 1995. Na temporada de 1997, no Rali da Finlândia, a Toyota voltou ao Mundial, entretanto denominado WRC, com o Corolla WRC.

Anúncio Publicitário

Este carro não teve tanto sucesso como os anteriores mas, ainda assim, venceu mais quatro ralis até à retirada e o título de construtores de 1999, o último ano em que a Toyota correu de forma oficial no WRC, pois abandonou a modalidade nessa altura para apostar na Fórmula 1.

Matos Chaves no Rali de Portugal de 1999 http://ralifoto.blogspot.pt
Matos Chaves no Rali de Portugal de 1999
Fonte: ralifoto.blogspot.pt

Também em Portugal a Toyota esteve presente nos ralis. A marca nipónica foi campeã, e falando apenas nestes dois modelos, em 1992, com Joaquim Santos, e em 1999 e 2000, quando Pedro Matos Chaves venceu já com o Corolla WRC.

Também Rui Madeira correu pela Toyota, em 1996 e 1998, fazendo algumas rondas do WRC.

Que seja um regresso forte da Toyota, e que seja apenas mais uma das muitas equipas cujo regresso seria fantástico. É aquilo que todos os amantes dos ralis desejam.