Parabéns, Ogier e parabéns, Toyota! O piloto Sébastien Ogier, excecional, e Julien Ingrassia (co-piloto) garantiram em Monza o sétimo título no Mundial de Ralis. Sete títulos com três equipas distintas é, de facto, um feito e é certo que o prémio está em boas mãos. Num ano completamente distinto, (apenas sete ralis, devido aos diversos cancelamentos e todas as restrições e medidas de segurança resultantes da pandemia de coronavírus) ao lado de Ingrassia, ganhou o WRC pela sétima vez em oito anos e pode agora somar a edição de 2020 a 2018, 2017, 2016, 2015, 2014 e 2013, após 9 anos de hegemonia de Sebastien Loeb.

Elfyn Evans chegou à última prova com um avanço de 14 pontos mas um percalço (saída de estrada) do piloto impediu que festejasse no primeiro do pódio.

Anúncio Publicitário

Foi claramente uma desilusão extrema para Evans. O galês apresentou uma prestação regular e teve uma época em que consolidou sempre a sua posição na época. Há quem desejasse que fosse o piloto a concluir a proeza de segurar na taça que consagra a vitória. Esta não lhe passou pelas mãos devido ao seu acidente, saindo de estrada numa zona em que “a aderência da mistura de neve, gelo e asfalto mudou repentinamente”. O acidente aconteceu após um salto que o obrigou a capotar e que o forçou a desistir por motivos de saúde. O piloto ainda completou a quarta especial (do acidente) e a super especial seguinte, mas não foi capaz de se recuperar do incidente nas colinas invernais acima de Monza, o que o colocou fora da disputa.

No entanto… Ogier aproveitou da melhor maneira o incidente de Evans no sábado.

Involuntariamente, o piloto galês entregou o controlo da prova a Ogier, que acabou por liderar até final. O francês ainda apanhou um susto na Power Stage que deixaria qualquer um com o coração nas mãos, quando as escovas do limpa para-brisas do seu carro (Yaris WRC) deixaram de funcionar, o que dificultou a visibilidade em condições meteorológicas bastante difíceis.

Ogier começou o rali na sua calmaria prudente e chegou a estar, inclusive, em quarto lugar da geral e em terceiro lugar no final do primeiro dia de prova. O Rali de Monza, ganhou-o com um tempo de 2h15m51s deixando imediatamente a seguir de si, Ott Tanak (Hyundai i20) e em terceiro ligar a 13.9s o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20) em terceiro, a 15.3s.

Adquiriu vantagem e passou para primeiro no primeiro troço do dia perante as penalizações de Dani Sordo e Esapekka Lappi. Ogier ainda viria a perder a liderança para Sordo mas recuperou-a e manteve-a até ao final. Na PE11, “quando se apercebeu da saída de estrada de Evans, mudou por completo a sua condução, nada arriscando até ao fim do rali.”

Thierry Neuville não deu grande “luta”. A P4 foi o seu fim. Neuville bateu numa barreira e danificou o seu Hyundai i20 WRC. O carro acabou por precisar de ajuda para sair do troço depois de ter passado por uma zona de água em que o carro não ligou mais. O belga, vencedor do Rali de Monte Carlo, não conseguiu ser consistente nas suas prestações: desistiu na Estónia perante outro incidente, segundo lugar na Sardenha e segundo lugar em terras turcas.

Ott Tänak (Hyundai) terminou o Rali de Monza em terceito lugar e sem grande chance de obter o título. O grave acidente do Rali de Monte Carlo fê-o começar da pior forma. Sagrou-se campeão no seu país e obteve o segundo ligar no México e um segundo lugar na Suecia. Os seus piores resultados foram em Itália e na Turquia com sexto e 16.º lugares respetivamente. O que fez, não foi suficiente.

Dani Sordo (Hyundai i20) fez notar que é “um piloto que ainda merecia um programa a tempo inteiro”. O espanhol de 37 anos concluiu, na liderança, a primeira etapa do Rali. Nos três ralis em que participou , desistiu no México, venceu na Sardenha e foi segundo em Monza.

Por fim, parabéns à Hyundai! Colocou dois carros (Hyundai i20 Coupé WRC) em vitória e assegurou o título de fabricantes pela segunda vez na sua história O primeiro título foi conquistado em 2019, superando a Toyota por cinco pontos.

Classificação final do Rali de Monza:

1.º Sébastien Ogier (Toyota Yaris): 2h15m51s

2.º Ott Tanak (Hyundai i20), +13.9s

3.º Dani Sordo (Hyundai i20), +15.3s

4.º Esapekka Lappi (Ford Fiesta), +45.7S

Foto de Capa: WRC

7 COMENTÁRIOS

  1. You made several good points there. I did a search on the matter and found a good number of folks will have the same opinion with your blog. Dina Son Ponce

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome