Parabéns, Ogier e parabéns, Toyota! O piloto Sébastien Ogier, excecional, e Julien Ingrassia (co-piloto) garantiram em Monza o sétimo título no Mundial de Ralis. Sete títulos com três equipas distintas é, de facto, um feito e é certo que o prémio está em boas mãos. Num ano completamente distinto, (apenas sete ralis, devido aos diversos cancelamentos e todas as restrições e medidas de segurança resultantes da pandemia de coronavírus) ao lado de Ingrassia, ganhou o WRC pela sétima vez em oito anos e pode agora somar a edição de 2020 a 2018, 2017, 2016, 2015, 2014 e 2013, após 9 anos de hegemonia de Sebastien Loeb.

Elfyn Evans chegou à última prova com um avanço de 14 pontos mas um percalço (saída de estrada) do piloto impediu que festejasse no primeiro do pódio.

Foi claramente uma desilusão extrema para Evans. O galês apresentou uma prestação regular e teve uma época em que consolidou sempre a sua posição na época. Há quem desejasse que fosse o piloto a concluir a proeza de segurar na taça que consagra a vitória. Esta não lhe passou pelas mãos devido ao seu acidente, saindo de estrada numa zona em que “a aderência da mistura de neve, gelo e asfalto mudou repentinamente”. O acidente aconteceu após um salto que o obrigou a capotar e que o forçou a desistir por motivos de saúde. O piloto ainda completou a quarta especial (do acidente) e a super especial seguinte, mas não foi capaz de se recuperar do incidente nas colinas invernais acima de Monza, o que o colocou fora da disputa.

No entanto… Ogier aproveitou da melhor maneira o incidente de Evans no sábado.

Anúncio Publicitário

Involuntariamente, o piloto galês entregou o controlo da prova a Ogier, que acabou por liderar até final. O francês ainda apanhou um susto na Power Stage que deixaria qualquer um com o coração nas mãos, quando as escovas do limpa para-brisas do seu carro (Yaris WRC) deixaram de funcionar, o que dificultou a visibilidade em condições meteorológicas bastante difíceis.

Ogier começou o rali na sua calmaria prudente e chegou a estar, inclusive, em quarto lugar da geral e em terceiro lugar no final do primeiro dia de prova. O Rali de Monza, ganhou-o com um tempo de 2h15m51s deixando imediatamente a seguir de si, Ott Tanak (Hyundai i20) e em terceiro ligar a 13.9s o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20) em terceiro, a 15.3s.

Adquiriu vantagem e passou para primeiro no primeiro troço do dia perante as penalizações de Dani Sordo e Esapekka Lappi. Ogier ainda viria a perder a liderança para Sordo mas recuperou-a e manteve-a até ao final. Na PE11, “quando se apercebeu da saída de estrada de Evans, mudou por completo a sua condução, nada arriscando até ao fim do rali.”

Thierry Neuville não deu grande “luta”. A P4 foi o seu fim. Neuville bateu numa barreira e danificou o seu Hyundai i20 WRC. O carro acabou por precisar de ajuda para sair do troço depois de ter passado por uma zona de água em que o carro não ligou mais. O belga, vencedor do Rali de Monte Carlo, não conseguiu ser consistente nas suas prestações: desistiu na Estónia perante outro incidente, segundo lugar na Sardenha e segundo lugar em terras turcas.

Ott Tänak (Hyundai) terminou o Rali de Monza em terceito lugar e sem grande chance de obter o título. O grave acidente do Rali de Monte Carlo fê-o começar da pior forma. Sagrou-se campeão no seu país e obteve o segundo ligar no México e um segundo lugar na Suecia. Os seus piores resultados foram em Itália e na Turquia com sexto e 16.º lugares respetivamente. O que fez, não foi suficiente.

Dani Sordo (Hyundai i20) fez notar que é “um piloto que ainda merecia um programa a tempo inteiro”. O espanhol de 37 anos concluiu, na liderança, a primeira etapa do Rali. Nos três ralis em que participou , desistiu no México, venceu na Sardenha e foi segundo em Monza.

Por fim, parabéns à Hyundai! Colocou dois carros (Hyundai i20 Coupé WRC) em vitória e assegurou o título de fabricantes pela segunda vez na sua história O primeiro título foi conquistado em 2019, superando a Toyota por cinco pontos.

Classificação final do Rali de Monza:

1.º Sébastien Ogier (Toyota Yaris): 2h15m51s

2.º Ott Tanak (Hyundai i20), +13.9s

3.º Dani Sordo (Hyundai i20), +15.3s

4.º Esapekka Lappi (Ford Fiesta), +45.7S

Foto de Capa: WRC

7 COMENTÁRIOS

  1. You made several good points there. I did a search on the matter and found a good number of folks will have the same opinion with your blog. Dina Son Ponce

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome