Anterior1 de 2Próximo

É oficial: Conor McGregor está de volta, e vai enfrentar Donald Cerrone no UFC 246, na T-Mobile Arena em Las Vegas. Mas será esta a luta certa para o irlandês? Será que ele tem muito a perder? Vamos analisar este combate.

Os rumores sobre esta luta já são antigos. Já em março, ambos os atletas estiveram para lutar, mas Dana White referiu que o combate não seria evento principal. Isto deve-se ao facto dos eventos principais do UFC serem por um título (caso sejam pay-per-views, o que era na altura).

Tais condições não agradaram a McGregor, e a luta acabou por não ficar fechada nessa altura (lê mais aqui).

Donald Cerrone: Luta certa ou o caminho mais fácil?

Quando esta luta foi confirmada, foi muita a discussão em seu torno gerada. Muitos diziam que esta é a luta certa para o regresso de Conor, outros dizem que está se está a desviar dos melhores lutadores.

É um facto que McGregor poderia regressar e enfrentar, por exemplo, Justin Gaethje, que está no topo da divisão de peso-leve. É um facto que poderia enfrentar Jorge Masvidal que é, a esta altura, o lutador com mais mediatismo à sua volta.

Mas o que ganharia McGregor com isso? O irlandês não vence uma luta há mais de três anos (última vitória foi contra Eddie Alvarez no UFC 205) e já não compete há mais de um ano. É claro que nós como fãs preferimos as lutas mais entusiasmantes, mas um atleta tem de pensar bem e escolher as melhores opções para a sua carreira. Ainda por cima alguém como McGregor, que teve um 2019 muito conturbado com vários processos legais.

Sem descredibilizar Cerrone, é uma luta mais acessível para McGregor do que qualquer outra opção apresentada acima. O americano de 36 anos vem de duas derrotas por nocaute frente a Tony Ferguson e Justin Gaethje. Para além da idade, não é fácil para um atleta combater depois de dois nocautes. Isto tudo são fatores a favor de McGregor.

Cerrone venceu o último combate em maio, frente a Al Iaquinta
Fonte: UFC

Mas o que torna esta luta interessante são os estilos de ambos os lutadores. Ambos são strikers, muito bons no combate em pé. Isto também favorece McGregor, que é conhecido pelo seu strike. Mas Cerrone é fantástico no jogo de chão: 17 das suas 36 vitórias foram via submissão.

Outro fator a destacar é a categoria de peso. Cerrone combatia nos 77kg, mas no início do ano decidiu regressar aos 70kg e ganhou dois combates, e perdeu dois. McGregor que o normal seria combater na divisão dos 70kg, vai enfrentar Cerrone nos 77kg.

Esta questão do peso terá muitas implicações na luta. Cerrone é maior que McGregor, e o irlandês não terá a mesma rapidez e resistência que tem nas categorias inferiores. Para além disto, como Cerrone será mais pesado, Conor terá, em teoria, menor poder de KO.

Para mim, esta é a luta certa para McGregor regressar, conseguir uma vitória, e afastar os seus últimos três anos.

McGregor – Afinado ou enferrujado?

À data do combate fará um ano e dois meses desde a última vez que McGregor entrou no octógono. Também fará três anos e dois meses desde a última vitória de McGregor no UFC. O chamado “ring rust”, ou “ferrugem de combate” é algo bem real. Um atleta que passe muito tempo sem competir, embora treine, fica sempre “enferrujado”. Para além do mais, o próprio McGregor admitiu beber álcool durante o campo de treino para o combate contra Khabib, o que é, obviamente, contraproducente quando se quer atingir o pico da forma física.

Outro tópico muito falado pelo irlandês é a questão da motivação. Ele referiu que depois de vencer Eddie Alvarez, que nunca mais sentiu a mesma motivação de outrora.
Ele referiu mais recentemente que se sente motivado e está com muitos objetivos para o ano 2020, veremos se é verdade.

Também será essencial para McGregor se afastar dos problemas que teve em 2019: partir um telemóvel de um fã, agredir um idoso num bar, entre outros. O objetivo disto será reconquistar muitos dos fãs que agora estão contra ele.

McGregor competiu pela última vez em novembro do ano passado
Fonte: UFC
Anterior1 de 2Próximo

Comentários