Anterior2 de 2Próximo

Kelvin Gastelum também andou por outras divisões. Até 2016 lutou na divisão de peso meio-médio. Subiu uma categoria e venceu Tim Kennedy, perdeu para Chris Weidman, e venceu Michael Bisping e ‘Jacare’ Souza. Tinha uma luta marcada contra Robert Whittaker, mas devido à lesão previamente mencionada, o combate foi desmarcado. Com a vitória de Adesanya sobre Anderson Silva, uma luta entre os dois fazia sentido.
Gastelum é um lutador muito maciço, tem poder de KO (visto no combate contra Michael Bisping) e tem uma boa base de wrestling que utiliza para confundir os adversários.

O primeiro round foi para Gastelum. Conseguiu surpreender Adesanya e por momentos podia-o ter finalizado. Nos dois rounds seguintes Adesanya anulou tudo o que Gastelum tinha para oferecer. Este não conseguiu atingir o nigeriano, que se manteve longe e sempre a acertar golpes eficazes. O quarto round foi melhor para Gastelum que conseguiu acertar mais golpes no adversário. À entrada para a quinta ronda tudo estava em aberto. Foi aí que Adesanya deu um espetáculo: conseguiu quatro knockdowns e por segundos não finalizou Gastelum. No final, os juízes atribuíram a vitória unânime a Israel Adesanya por 48-46 (3 rondas para ele, duas para Gastelum).
Robert Whittaker vai agora defender o seu título contra Adesanya. Especta-se que a luta seja no país natal de Whittaker: Austrália.

Adesanya interioriza o momento em que se sagra campeão interino de peso-médio
Fonte: UFC

Nos restantes combates do main card, Nikita Krylov finalizou Ovince Saint Preux por mata-leão na segunda ronda, na divisão de peso meio-pesado. OSP tentou superar a agressividade do ucraniano ao tentar a projeção e o combate corpo a corpo, e conseguiu na primeira ronda. Na segunda ronda Krylov projetou OSP e depois de conseguir a montada finalizou o combate. Dado estatístico interessante de Nikita Krylov: todas as suas 25 vitórias foram por finalização, 10 nocautes e 15 submissões.

Alan Jouban e Dwight Grant protagonizaram um combate muito equilibrado na categoria de peso meio-médio. Grant lançou 39 golpes dos quais 38 foram significativos, face aos 25 (24 significativos) de Jouban, que ainda conseguiu uma projeção. A decisão dos juízes foi dividida, mas Dwight Grant saiu vencedor. Dois juízes deram 29-28 (duas rondas para Grant contra uma para Jouban), e surpreendentemente um juiz deu 30-27 para Jouban (venceu todas as rondas).

Eryk Anders e Khalil Rountree entraram para este combate em situações semelhantes. Ambos vinham de derrotas e procuravam a vitória para relançar a carreira na divisão de peso-médio.
Rountree esteve significativamente melhor que Anders. Dominou o combate inteiro, só faltando a finalização. Lançou 83 golpes sendo 79 deles significativos. Anders apenas laçou 19 com 16 significativos. Rountree conseguiu ainda umas surpreendentes quatro knockdowns. No final, a decisão dos juízes foi fácil. Todos pontuaram o combate 30-26, e todos deram apenas oito pontos a Anders no segundo round.

O próximo evento será o UFC Fight Night Russia, dia 20 de abril, cartaz protagonizado por Overeem e Oleinik.

Foto de capa: UFC

Anterior2 de 2Próximo

Comentários