A afirmação do SC Braga | Futsal

    modalidades cabeçalho

    O Sporting Clube de Braga é claramente um clube grande no futsal nacional. Desengane-se quem acha que esta afirmação se deve à conquista da Taça de Portugal. Este processo já tem vindo a ser realizado há alguns anos. No entanto, importa ressalvar que, com esta conquista, os bracarenses venceram o seu primeiro título na sua existência.

    Para além desta vitória inédita para o clube passados mais de 20 anos após a sua criação, o Braga é líder do campeonato. Está errado aquele que acha que o sucesso desta equipa é muito recente. É verdade que o título apenas chegou agora. É verdade que tiveram altos e baixos. Porém, o Braga sempre foi a equipa que mais facilmente mordia os calcanhares aos grandes. Para isso, basta recuarmos à época de 2016/2017, onde os arsenalistas eliminaram o Benfica nas meias-finais e foram discutir o título com o Sporting, onde acabaram por perder.

    Já nessa altura, o Braga mostrava que era capaz de vencer. Não por sorte, mas inteiramente por mérito próprio. Na baliza, contavam com o internacional português, Vítor Hugo, que fez uma época muito acima da média. E, como se não bastasse, tinham ainda nomes como: André Coelho, Tiago Brito, Nilson Miguel, Bruno Cintra e entre outros. Aquela equipa do Braga era, realmente, qualquer coisa. Não surpreende o sucesso que tiveram.

    Depois de grande parte das figuras dessa temporada saírem do clube, o Braga entrou numa espiral descendente. No entanto, a vontade de voltar a trazer qualidade para o clube sempre foi bem visível. Desde logo, pela contratação de Pola, internacional espanhol, ao Inter Movistar. Passando, ainda, pela tentativa quase bem-sucedida de trazerem Ricardinho.

    Analisando bem, a afirmação do Braga como grande deu-se na época passada. Os Guerreiros do Minho acabaram a temporada transata em 2º lugar, ficando à frente do Benfica. Nas meias-finais do playoffs, não foram capazes de vencer as águias. Porém, a amostra estava dada. Hoje, percebemos que conseguiram transportar essa amostra para esta temporada e torná-la em algo muito maior.  No campeonato, perderam apenas um jogo, que foi na visita ao Caxinas. Para além disto, recentemente empataram a dois golos na casa dos Leões de Porto Salvo. De resto, olhando para os jogos grandes, empataram e venceram o Sporting nos dois jogos, e venceram o Benfica no único jogo até então realizado.

    No entanto, e como na época de 2016/17, não é grande surpresa este sucesso, tendo em conta o seu plantel. Aliás, até diria que, para quem acompanha a modalidade, esta afirmação do Braga já era espectável. Porém, há diferenças deste plantel para o de 2016/17: têm mais qualidade, mais experiência e mais profundidade.  No seu grande bolo, têm a combinação perfeita entre juventude e experiência.  Entre os nomes mais “batidos”, destaco Tiago Brito, Fábio Cecílio, Rafael Henmi e Robinho, todos eles com passagem pelo Benfica e muito andamento de seleções. Destaque especial para Robinho, que com 41 anos continua a fazer coisas inacreditáveis.  Olhando agora para a juventude, há nomes como Ricardo Lopes, Tiago Correia, Bébé e Allan Guilherme. Destaque para o Allan, jovem pivô brasileiro de apenas 24 anos. Tem sido em muitas alturas o melhor jogador desta equipa. O seu faro de golo já despertou o interesse de Sporting e Benfica. Para fechar, na baliza o Braga consegue ter dois grandes guarda-redes: Dudu e Deivd. Ambos brasileiros com muita qualidade entre os postes e que acrescentam, ainda, a qualidade com os pés. Deivd, que era o guardião principal, encontra-se lesionado desde dezembro. Dudu tem sido o dono da baliza, e tem respondido a altura.

    No entanto, é crucial dar grande destaque ao comandante deste navio, Joel Rocha. Quem não reconhece Joel Rocha como um dos melhores provavelmente não acompanha a modalidade, de todo. Joel ficou muito manchado pela sua passagem no Benfica. Para um clube como as águias, ganhar é a única opção. Tudo o resto é fracasso. Porém, se não olharmos apenas a medalhas, percebemos que o trabalho de Joel foi muito bom, dentro dos possíveis. No entanto, o “azar” de Joel Rocha tem um nome: Nuno Dias. Todo o projeto do Sporting era muito forte. Quase perfeito, atrevo-me a dizer. Deste modo, a tarefa do Joel sempre foi muito complicada. Mesmo que tenha conseguido vencer títulos, para os adeptos nunca foi suficiente.

    No final, acredito que esta saída do Benfica tenha sido positiva para o Joel. No final de contas, precisou de ir para o Braga para realmente atribuírem o valor que o mesmo merece. Com a recente conquista da Taça de Portugal, Joel Rocha tornou-se o único treinador a vencer este trofeu por três clubes diferentes: AD Fundão, SL Benfica e SC Braga.

    É difícil dizer se o Braga será campeão este ano. Isto porque, como todos sabemos, os playoffs são um bicho completamente diferente. No entanto, acredito que são uma equipa muito mais bem preparada, em comparação com a época passada. No próximo dia 6 de abril, os bracarenses vão a casa do Elétrico para a 20º jornada. O apito inicial está marcado para as 15h, naquele que será um encontro muito importante para a luta pela liderança do campeonato.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Roger Schmidt: «Eles não criaram chances»

    Roger Schmidt já reagiu ao desafio entre o Benfica...

    Florentino Luís: «Não tivemos o futebol dos últimos jogos»

    Florentino Luís já reagiu ao desafio entre o Benfica...

    Conference League: eis os resultados desta quinta-feira

    A Liga Conferência já não tem treinadores portugueses com...
    Tiago Figueiredo Rosário
    Tiago Figueiredo Rosário
    Tiago Rosário é licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Atualmente é, ainda, aluno na Pós-graduação em Jornalismo Desportivo, também na ESCS. Foi no Jornalismo que encontrou o espaço para se manter ligado a algo que o apaixona tanto: o desporto. No Bola na Rede, Tiago tem a liberdade e o à vontade para escrever/falar sobre qualquer tema de qualquer desporto.