Cabeçalho modalidadesPara ajudar na preparação para o campeonato da Europa de 2018, que se realizará na Eslovénia, a Federação Portuguesa de Futebol anunciou, recentemente, a realização de dois encontros de carácter particular com a congénere russa, indiscutivelmente uma das equipas mais fortes do mundo e que chegou até à final do campeonato do mundo da modalidade, só cedendo frente à turma argentina, na final.

Pois bem, creio que a decisão de se marcar este duplo encontro (jogos no dia 27 e 29 deste mês) é uma ótima medida, pois permite à nossa equipa treinar rotinas de jogo com uma grande equipa pela frente, em contexto de amigável. Creio, aliás, que a diversificação de jogos particulares com equipas de topo (e não jogar somente com a vizinha Espanha) irá ajudar na maturação dos nossos jovens jogadores.

Éder Lima e companhia visitam Portugal no fim deste mês Fonte: UEFA
Éder Lima e companhia visitam Portugal no fim deste mês
Fonte: UEFA

É algo fundamental para a seleção crescer e ganhar “caule” para poder abordar os próximos torneios com o intuito de os vencer. Ou seja, aquilo a que quero chegar é que os jogadores precisam de sentir a intensidade de um grande jogo em situações prévias à competição propriamente dita, e, nesse quadro encaixa na perfeição o duplo encontro com a Rússia, que já começa a ver com outros olhos a seleção nacional de futsal, já deixando de ser um mero participante e podendo agora lutar de igual para igual com outras potências.

Foi essa a grande mudança verificada com a grande prestação no mundial da Colômbia, que embora não tivesse sido a melhor de sempre, esteve perto de o ser (a melhor foi em 2000, com o terceiro lugar na Guatemala). Não foi a melhor olhando somente para os números e estatísticas, mas em termos de equilíbrio nos resultados foi indiscutivelmente melhor (relembramos que nessa meia-final perdida em 2000, o resultado foi de 8-0, favorável ao Brasil, sendo agora o 5-2 mais equilibrado, embora seja um resultado exagerado tendo em conta o que se passou).

Para finalizar, resta-me desejar que nestes dois jogos a nossa equipa se mostre bastante determinada para lutar pela vitória, algo que ajudaria muito a manter os níveis de confiança bem altos, sempre com o foco na qualificação para o europeu de 2018, a começar no próximo mês de Abril de 2017 (a classificação, pois o europeu propriamente dito começa só no início do próximo ano).

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por: Francisca Carvalho