logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Futsal Sporting

Antevisão Liga Futsal 2022/2023: Novo ano, menos equipas e os mesmos candidatos

modalidades cabeçalho

O encontro entre o Futsal Clube Azeméis e o SC Ferreira do Zêzere, nesta sexta-feira, marca o arranca da liga de futsal 2022/2023. A grande novidade deste ano, prende-se com a diminuição para 12 equipas que irão competir na maior prova nacional de futsal. Aliás, este é um processo de emagrecimento da liga que começou já na época 2020/2021, com 16 clubes, passando a 14 emblemas na época 2021/2022, chegando ao número atual de clubes presentes na liga.

Este é um passo importante para que a competitividade seja cada vez maior entre os clubes, uma vez que apesar de sermos campões do mundo e da europa por seleções, e de termos duas das melhores equipas de futsal do mundo (Sporting CP e SL Benfica), o fosso que existe entre estes dois crónicos candidatos ao título e as restantes equipas é ainda bastante assinalável e negativo do ponto de vista desportivo.

A título de exemplo, na época passada, na fase regular, a diferença pontual entre o primeiro classificado, Sporting CP, e o terceiro, Fundão, foram uns impressionantes 22 pontos. Assim, a redução para 12 equipas na liga promete ser um passo importante para que, cada vez mais, a liga possa ser o mais competitiva possível e, desta forma, atrair mais público.

O Sporting CP foi o campeão em título da época passada
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Para esta nova época, o Sporting CP, que na época transata venceu todas as provas nacionais, decidiu manter a sua estrutura base e fez poucas alterações no plantel. Para colmatar as saídas de Cardinal e Waltinho, chegaram o pivô Hugo Neves e o russo Sokolov. Como se costuma diz, quando se ganha, não mexe e esta parece ser a receita utilizada pelos leoninos para esta nova época. Vencedores das últimas oito competições a nível nacional e ainda finalistas vencidas da Liga dos Campeões de Futsal, o clube de Nuno Dias é o grande candidato ao título, pois para além de ser uma equipa bastante coesa, que trabalha junta há alguns anos, tem muito bem enraizada os processos de jogo, dinâmicas e muita experiência acumulada.

Já o SL Benfica tem esta época a árdua tarefa de tentar por fim ao jejum de títulos que enfrenta (último foi a conquista da Taça da Liga, em janeiro de 2020) e, simultaneamente, por fim ao domínio incontestável que o rival Sporting CP apresenta nos últimos anos namodalidade. Para isso o emblema de Pulpis assegurou a contratação de nomes como o guarda-redes brasileiro Léo Gugiel e o fixo Gonçalo Sobral. De assinalar ainda o retorno de Bruno Coelho ao clube da luz, ele que passou nove época de águia ao peito entre 2011 e 2020, regressando agora para dar maior experiência ao plantel e acrescentar muita qualidade.

Para colmatar a saída de Robinho, um dos grandes desequilibradores da equipa nos últimos anos, chegou Diego Nunes que terá muito trabalho pela frente para fazer esquecer o russo. Assim, Pulpis tem o grande desafio de conseguir criar uma equipa coesa e com boas dinâmicas de jogo para conquistar o campeonato que foge desde 2019.

O AD Fundão e o Elétrico FC, foram as duas equipas sensações da última época, sendo que só foram eliminados pelos rivais de Lisboa, nas meias-finais da competição. Estes são dois projetos muito interessantes e sustentáveis de futsal, uma vez que são emblemas que se situam e representam a zona interior de Portugal (Castelo-Branco e Portalegre, respetivamente), fugindo à grande tendência, não só neste desporto, da existência de um enorme elevado de equipas na zona litoral do país e nos maiores centros urbanos. O AD Fundão é um emblema que tem um projeto mais consolidado na liga, conseguindo sempre chegar aos play-offs nas últimas épocas (chegou à final do campeonato na temporada 2013/2014, sendo derrotado pelo Sporting CP). À equipa de Fundão falta dar o passo final de conseguir debater-se de igual para igual com Sporting CP e SL Benfica, mas a diferença económica entre os clubes dificulta muito esta tarefa.

O internacional português, Mário Freitas, promete continuar a ser uma das estrelas da equipa e ajudar o seu clube a atingir os objetivos definidos. Já o Elétrico FC, é ainda uma jovem equipa na Liga, mas na temporada transata foi uma das boas surpresas, sendo que a chegada de André Cardoso, Rúben Freire e Tiago Cruz podem ajudar a que o emblema de Ponte-de-Sor de continuidade ao projeto que tem em mãos. Estes nomes juntar-se-ão a Célio Roque, uma das grandes revelações da época passada, tendo apontado 15 golos em toda a competição. Claramente um jovem jogador a que os espectadores de futsal devem ter debaixo de olho.

Em relação ao SC Braga/AAUM, espera-se muito mais do que na época transata, que foi a grande deceção da competição. Depois de contratar para a posição de treinador, Joel Rocha (campeão nacional pelo SL Benfica) e os bicampeões da europa e campeões do mundo de futsal de seleções, Tiago Brito e Fábio Cecílio, esperava-se que a equipa do Minho pudesse dar luta pelo título, mas ficaram-se por um dececionante 6º lugar, na época regular, sendo que foram eliminados logo na primeira ronda dos play-offs pelo Elétrico FC. Esta época é uma nova oportunidade para Joel Rocha e os comandados mostrarem um melhor futsal, à altura das altas espectativas colocadas, e a chegada de Robinho, que acabou contrato com a equipa das águias, vem acrescentar muita qualidade ao plantel, bem como uma vasta experiência trazida pelos 39 anos do jogador russo. Veremos se, esta temporada, os guerreiros do Minho conseguem corresponder às elevadas expetativas ou se será mais uma época dececionante, com muitos altos e baixos.

Fonte: SC Braga

A linha entre estar presente nos play-offs ou descer de divisão tem se mostrado bastante ténue, por exemplo, na época passada, a diferença pontual que separou a última equipa em lugar de play-off e a primeira equipa abaixo da linha de água foi de apenas 5 pontos. Com a redução para 12 equipas espera-se que o campeonato seja ainda mais disputado e que, portanto, a diferença pontual seja ainda menor. É espectável que equipas como os Leões de Porto Salvo e Quinta dos Lombos apontem mais aos lugares de play-off, devido à sua maior experiência de primeira divisão, enquanto que o Portimonense, o FC Futsal Azeméis, o Candoso, o Caxinas Poça Barca e o Ferreira do Zêzere, tenham, à partida, como principal objetivo evitar a descida de divisão.

Estes dois últimos tratam-se dos dois recém-promovidos, sendo que historicamente as equipas que sobem de divisão têm sempre mais dificuldades em se manter no maior patamar de futsal do país, pois é necessário um orçamento maior e mais rigor nos processos de jogo e de análise ao pormenor das equipas adversárias, visto que a Liga  é uma das melhores ligas de futsal do mundo.

As cartas estão lançadas e agora só nos resta esperar por mais uma bela época de futsal, de grandes jogos, de maior competitividade e que o nosso futsal e a nossa liga continuem a ser vistas como belos exemplares no mundo do futsal.

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

O Tiago desde pequeno que é um apaixonado por desporto e as suas primeiras memórias estão precisamente relacionadas com isso. O futebol sempre foi e será a sua grande paixão, pois vive cada momento como se estivesse em campo. O seu outro grande amor é o futsal, onde desde muito novo passava as suas tardes de sábado a assistir jogos da modalidade junto dos seus avós, onde comentava e relatava os jogos, como se de um jornalista se tratasse.

O Tiago desde pequeno que é um apaixonado por desporto e as suas primeiras memórias estão precisamente relacionadas com isso. O futebol sempre foi e será a sua grande paixão, pois vive cada momento como se estivesse em campo. O seu outro grande amor é o futsal, onde desde muito novo passava as suas tardes de sábado a assistir jogos da modalidade junto dos seus avós, onde comentava e relatava os jogos, como se de um jornalista se tratasse.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA