Cabeçalho modalidades

Hoje foi dia de finais na Póvoa de Varzim e, também, de dois encontros sempre escaldantes entre SL Benfica e Sporting CP, tanto na Taça masculina como na feminina. Na antecâmara da final mais esperada, tivemos um belo aperitivo, com a disputa da Taça de Portugal para as senhoras.

Foi um jogo extremamente equilibrado, sempre com uma grande incerteza a pairar no marcador durante os 40 minutos, e que terminou empatado a dois golos. As águias assumiram as despesas do encontro e criaram mais ocasiões de perigo, não conseguindo, no entanto, concretizar. Manteve-se assim o jogo em aberto até ao fim do tempo regulamentar. Tendo o empate persistido, foi necessário recorrer a mais dez minutos de Futsal, nos quais se manteve a toada de jogo e o Benfica acabou por ser mais forte neste tempo extra, marcando um único golo para forçar o desempate e confirmar a vitória das vermelho-e-brancas ao cabo de 40+10 minutos de muito bom Futsal de parte a parte, numa demonstração cabal e inequívoca de que também o Futsal feminino merece mais atenção por parte do público, pois já está confirmado que, em termos de espetacularidade, pouco ou nada fica a dever à vertente masculina.

Depois, a partir das 17h30, iniciou-se a final mais aguardada, com os mesmos intervenientes, mas desta feita na vertente masculina. O jogo foi, ao contrário do que se viu na primeira final, dominado pelos leões no início, que criaram variadas oportunidades que esbarraram ora nos postes ora num inspiradíssimo Juanjo. Quando não eram estes dois elementos a salvar o Benfica, era o desperdício puro dos jogadores leoninos que os poupava, como por exemplo um falhanço incrível de Fortino, completamente isolado, na cara do guardião espanhol. Sensivelmente a meio da primeira parte, eis que o elemento claramente em destaque do lado encarnado, o guarda-redes Juanjo, tem uma falha que desequilibrou o marcador a favor do Sporting, num golo de Miguel Ângelo.

O Sporting CP é um justo vencedor da prova Fonte: Sporting CP
O Sporting CP é um justo vencedor da prova
Fonte: Sporting CP

A cinco minutos do intervalo, João Matos amplia o marcador após desvio oportuno ao segundo poste, para marcar um fosso de dois golos à entrada para os últimos 20 minutos, deixando antever uma tarefa bastante complicada para os comandados de Joel Rocha. A vantagem verde-e-branca não merece qualquer contestação até ao momento, pois foi sem sombra de dúvida a melhor equipa em campo na etapa inicial. Na segunda parte, surge o melhor estímulo que uma equipa em baixo no marcador pode receber: a 13 minutos do fim, Gonçalo Alves marca e faz com que o Benfica reentre na discussão do resultado.

Anúncio Publicitário

A partir deste momento, a formação encarnada passou a acreditar mais, passando a haver boas situações para marcar de parte a parte. Depois, no último minuto, Fortino marcou mais um golo, que parecia sentenciar o jogo, aproveitando o 5×4 das águias. Só que na jogada a seguir surge um tento que volta a colocar o SLB dentro do encontro. No entanto, o golo de Cavinato, a meros oito segundos do fim do encontro, ditou o resultado final de 4-2, favorável aos pupilos de Nuno Dias, que três anos depois volta a conquistar este troféu, juntando-a assim à Taça da Liga ganha em Janeiro último.

Uma conquista bem merecida para o Sporting, que foi bastante melhor do que o seu adversário em alguns momentos do jogo de hoje, uma vez que o Benfica só se empenhou verdadeiramente na etapa complementar.

Foto de capa: Sporting CP