Cabeçalho modalidades

Os play-offs iniciaram-se neste fim-de-semana e não trouxeram consigo nenhuma surpresa evidente. Isto porque o Sporting CP e SL Benfica esmagaram os seus rivais no jogo disputado no reduto do adversário (respetivamente, 9-0 no pavilhão Acácio Rosa, e 7-0 no pavilhão José Manuel Rosa do Egito) e deram, por isso, um passo de gigante no sentido de sentenciar a eliminatória já no próximo jogo em casa.

Nos outros dois jogos, pelo contrário, houve uma pequena surpresa, que não foi maior por já se preverem disputas bastante equilibradas. Neste caso, a equipa teoricamente favorita – pelo menos na posição ocupada na tabela classificativa (Burinhosa e Sporting de Braga) – ainda tem mais dois jogos em casa para tentar dar a volta ao défice verificado no cômputo geral desta eliminatória. É importante relembrar que, nos quartos-de-final e meias-finais, os jogos disputam-se à melhor de três encontros. Ou seja, apura-se a equipa que ganhar duas partidas, ao contrário da final, que se discute à melhor de cinco encontros; isto é, é campeã a equipa que vencer três jogos.

Nos jogos já disputados foi possível constatar um grande desequilíbrio de forças entre Benfica, Sporting e restantes equipas – sobretudo aquelas que defrontaram os grandes dominadores da modalidade nos últimos anos, que deram uma prova cabal de não terem armas para pôr em sentido tanto a formação leonina como a encarnada. Finda esta primeira abordagem à fase que apura o campeão, é caso para dizer que ainda não vai ser nesta fase que as equipas mais fortes vão, realisticamente, ser postas à prova. E, salvo alguma grande surpresa, vão seguir para as meias-finais ao fim de dois jogos.

O Sporting garantiu uma vitória tranquila no pavilhão do Belenenses Fonte: Sporting CP
O Sporting garantiu uma vitória tranquila no pavilhão do Belenenses
Fonte: Sporting CP

Talvez apenas na meia-final cheguem os primeiros grandes sobressaltos para os ditos “grandes”, com o Braga ou o Fundão a prometerem bons confrontos, assim como a Burinhosa ou o Modicus, que vão dificultar bastante a vida ao seu rival nas meias-finais. O adversário do Sporting – o Belenenses – é um clube com uma enorme história ao nível de futsal, tendo inclusivamente discutido fases mais adiantadas de campeonatos há não muitos anos atrás. É, pois, custoso ver um clube que, inclusivamente, trouxe para Portugal vários jogadores de inegável qualidade – entre os quais Caio Japa ou Marcão – a ser vergado a goleadas sem dó nem piedade. Mas, enfim, lutam com as armas que a sua estrutura semiprofissional permite e, como se costuma dizer, “quem dá o que tem, a mais não é obrigado.”

Anúncio Publicitário

Aliás, com exceção de Sporting e Benfica, todas as outras formações têm esta estrutura não inteiramente profissional, impedindo, em certas ocasiões, um maior equilíbrio de forças entre os intervenientes, equilíbrio esse extremamente importante para aumentar o interesse em torno desta grande modalidade!

Foto de capa: Futsal Global