Anterior1 de 2Próximo

Estaríamos a pouco menos de um ano para que o Europeu de Futsal voltasse a ser organizado por alguma nação europeia. Mas, a UEFA decidiu trocar-nos as voltas e alterou o panorama normal para a modalidade no que diz respeito, sobretudo, ao intervalo de tempo que é a competição é realizada e ao número de equipas participantes.

O próximo europeu não será em 2020 como se esperava, mas sim em 2022. A razão desta alteração? Muito simples! Em 2020, a FIFA organiza o Mundial de Futsal na Lituânia e a UEFA não pretende que as duas competições coincidam no mesmo ano. Desta forma, promoveu a alteração para que a competição europeia de seleções aconteça no intervalo entre os dois mundiais (Mundial 2020 – Europeu 2022 – Mundial 2024), ou seja, realizar-se-á de quatro em quatro anos.

Contudo, esta não foi a única alteração. O número de equipas que disputam a prova também foi aumentado e passaremos a ter 16 seleções em vez das 12 que participavam. Já se sabe que a UEFA quer que esta modalidade chegue ao máximo número de países e este tipo de alterações é o exemplo da possibilidade de novas seleções, que outrora não passavam a qualificação, possam jogar na fase final.

A Eslovênia organizou o último europeu e conseguiu eliminar a Itália com o golo do capitão Igor Osredkar
Fonte: UEFA

A UEFA não está só a incentivar as nações europeias com o aumento do número de equipas, mas sim com a possibilidade de serem anfitriãs da competição mais importante de seleções na Europa. Portugal, França e Holanda são os finalistas para receberam a fase final do Europeu em 2022 e esta será a minha opinião de quem deve organizá-lo.

Se tivermos em conta a quantidade de organizações de fases finais de competições da UEFA, Portugal está, claramente, em vantagem visto que já organizou quatro eventos desportivos desta modalidade. Gondomar já recebeu dois europeus: o Euro 2007 e o Europeu Feminino em 2019. Já as outras duas organizações foram em Lisboa ambas para a antiga UEFA Futsal Cup (2010 e 2015). Enquanto, França e Holanda nunca organizaram uma fase final. Este será um fator importante na tomada de decisão pois a UEFA terá em conta as excelentes organizações que os portugueses já realizaram.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários