No pavilhão municipal de Odivelas, apresentaram-se em campo duas equipas um pouco à semelhança do encontro realizado em Belgrado, com a nossa equipa a dominar o jogo e a criar as melhores ocasiões, tendo a equipa da Sérvia que jogar mais na expetativa, bem mais neste jogo do que na primeira mão.

A primeira parte resume-se a um domínio claro da equipa portuguesa, a criar bastantes ocasiões mas a não conseguir encontrar o caminho para a baliza contrária, quer por mero desacerto na zona de finalização ou pela exibição inspirada do guardião Aksentijevic, sempre a evitar maiores apuros na sua área de jurisdição. A metade final trouxe os golos e a repetição do resultado verificado no jogo anterior, desta feita com golos de Cardinal e Tiago Brito para o lado luso, enquanto Ristic deu esperanças aos sérvios, ao marcar o 1-1 na altura, num lance de rápido contragolpe após um canto mal marcado pelos nossos jogadores. Acho também importante referir que Ricardinho não logrou ser tão decisivo como habitualmente, pese embora o facto de nunca ter virado a cara à luta, mesmo quando as coisas não lhe saiam tão bem como de costume.

Os 14 heróis que conquistaram o apuramento Fonte: Seleções de Portugal
Os 14 heróis que conquistaram o apuramento
Fonte: Seleções de Portugal

Com este resultado, está garantido o mais importante: o bilhete para a Colômbia, onde durante os dias 10 de Setembro e 1 de Outubro (esperemos, pois é o dia da final) poderemos ver a nossa talentosa equipa a espalhar magia por terras colombianas, num espaço onde voltámos a provar ter equipa com qualidade mais que suficiente para justificar a presença no próximo campeonato do mundo. Ainda é um pouco precoce para falar em possíveis adversários, pois ainda não estão todos definidos mas, venha quem vier, é para dar tudo e fazer o nosso melhor para, pelo menos, poder dizer que, independentemente de resultados, demos tudo para conseguir alcançar o melhor lugar possível.

Agora, falando um pouco mais objetivamente, penso que, dependendo do sorteio, que a ida às meias-finais é um objetivo talvez demasiado ambicioso, mas claramente ao alcance da seleção. Claro que para isso acontecer é necessário termos todos os nossos melhores elementos na melhor forma para atacar esta competição com toda a confiança. A prova inequívoca em como somos uma das grandes potências a nível continental e também mundial é que desde 2001 que não falhamos uma grande competição de seleções, seja Europeu ou Mundial, ou seja, já lá vão uns incríveis 15 anos! Espetacular, não?

Foto de capa: Seleções de Portugal

Anúncio Publicitário