Cabeçalho modalidadesEstão terminados os encontros referentes às meias-finais dos playoffs do campeonato, onde se apuraram os grandes favoritos desde o início da competição, isto é, o Sporting CP e o SL Benfica. Mas nem tudo foi rosas, sobretudo para a formação leonina, que apenas resolveu a questão no prolongamento do terceiro jogo, por 5-3, depois de se ver a perder por 0-2 ao intervalo do tempo regulamentar.

Estas enormes dificuldades dos leões devem-se não só a alguma displicência no momento da finalização, não conseguindo concretizar nenhuma oportunidade das inúmeras que tiveram ao longo dos primeiros 35 minutos, pois só nos últimos cinco minutos lograram marcar por duas ocasiões para empatar a duas bolas e levar assim o encontro para mais dez minutos, em que os verde e brancos foram claramente mais fortes, mas também aconteceram graças à brilhante organização da turma minhota, bem orientada por Paulo Tavares, sendo muito eficaz nas situações que criou e mantendo a baliza inviolável até perto do fim dos 40 minutos, contando para isso com a ajuda do herói da semana anterior, o guardião Vítor Hugo, a manter as redes a salvo das constantes investidas dos jogadores da formação lisboeta. Foi, portanto, um apuramento extremamente sofrido, que vem provar todo o valor do Sporting de Braga/AAUM, mas que também vem provar que, para os jogos com o grande rival, o Sporting tem de melhorar a sua eficácia, ou seja, tem de ter mais proveito caso crie um caudal de jogo elevado, sob pena de sofrer algum dissabor na grande final.

Os jogadores do Sporting aproveitaram para agradecer a grande ajuda vinda das bancadas  Fonte: Sporting CP
Os jogadores do Sporting aproveitaram para agradecer a grande ajuda vinda das bancadas
Fonte: Sporting CP

Numa eliminatória bem menos equilibrada, uma vez que foi decidida ao segundo jogo, o SL Benfica voltou a bater a Burinhosa por 4-1, num jogo onde a superioridade benfiquista não sofreu qualquer ameaça mas que não belisca em nada a grande temporada realizada pela equipa de Pataias, que nunca tinha alcançado as meias-finais do principal escalão. É, por isso, uma belíssima época da turma de Kitó Ferreira, que irá certamente recordar esta caminhada por muito tempo, e como a primeira de muitas; isto porque praticam um futsal bastante atrativo e caso a estrutura se mantenha por mais algum tempo, treinador incluído, podem mesmo vir a lutar por troféus daqui a um espaço de tempo relativamente curto, para além de se transformarem na terceira potência a nível nacional, algo que já alcançaram nesta época, na fase regular.

Assim sendo, vamos ter uma autêntica final de sonho, entre os grandes dominadores dos últimos anos em termos de finais alcançadas, e é um facto que este duelo na final já começa a ser tradição na história mais recente, com a AD Fundão a ser a única a estragar o pleno, quando em 2013/2014 chegou à final contra o Sporting, quando Joel Rocha, atual treinador dos encarnados, ainda treinava a formação beirã. É de esperar uma série onde o equilíbrio seja uma constante, numa eliminatória que arranca já este próximo fim-de-semana, em Odivelas. Para finalizar, resta-me dizer que agora a eliminatória se joga à melhor de cinco partidas, isto é, é campeã a formação que ganhe três jogos.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários