cab futsal

Má sorte? Má finalização? Boa exibição do guarda-redes adversário? Sim, foi uma mistura destes três fatores que nos tirou a vitória, hoje, contra a equipa do Araz.
Era com grande expetativa que todos nós, sportinguistas, esperávamos esta Ronda de Elite; nos dois primeiros jogos fomos muito superiores aos nossos adversários, vencendo por 6-1 os húngaros do Rába ETO e os holandeses do Eindhoven. Bastava o empate para passarmos à Final Four, mas era aí que estava o problema: conseguir o empate contra uma das melhores equipas da Europa, grupo onde podemos incluir também o Sporting.

Pavilhão cheio, tal como nos outros dias, com adeptos a não poderem entrar por o pavilhão já estar lotado, foi o que os jogadores do Sporting encontraram este domingo. Um apoio fantástico que nem o jogo da equipa de futebol em Guimarães conseguiu impedir.
Foi um jogo muito disputado, em que o Sporting conseguiu criar sempre mais perigo que os azeris – o mais correto talvez seja brasileiros –, mas onde a eficácia não foi a melhor. Aos 11 minutos, Fabiano abriu o marcador; primeira desilusão em Almada. Desilusão que se tornava em alegria menos de um minuto depois, quando Divanei fez um grande golo na marcação de um livre direto. Mas o Araz não demorou a repor a vantagem no marcador, por intermédio de Borisov, resultado que se manteve até ao intervalo.

A segunda parte abriu com dois golos, um para cada lado. Primeiro, foi Amadeu a marcar pelos azeris, mas Deo respondeu com um bico menos de 30 segundos depois. Voltava a esperança em Almada e o Sporting continuava por cima, mas já diz o ditado que “quem não marca sofre”; foi isto que aconteceu. Felipe marcou mais um para o Araz. O Sporting tinha 15 minutos para marcar dois golos, de forma a chegar, pelo menos, a um empate. Viu-se, então, mais um festival de golos falhados pelo Sporting, quer seja pela má pontaria, quer seja pelas excelentes defesas de Buranello, o melhor em campo e talvez o grande responsável pela derrota.

Deo, autor do segundo golo Fonte: FootballDream
Deo, autor do segundo golo
Fonte: FootballDream

A cerca de sete minutos do fim, Alex começou a jogar a guarda-redes, fazendo o cinco para quatro na procura de, pelo menos, dois golos; e foi precisamente Alex quem marcou o terceiro, a quatro minutos e meio do fim. Depois do golo, o Sporting deu tudo, quer em campo, quer na bancada, mas não conseguiu fazer o tão desejado quarto golo, sofrendo ainda mais dois. Foi 6-3 o resultado final, que, como disse Nuno Dias no final do encontro, não representa o que se passara em campo.
Acabou, assim, o nosso sonho de sermos campeões europeus. Mas preparem-se, que para o ano há mais.

Comentários