cab futsal

Jornada 18:
SC Braga/AAUM 4-3 Póvoa Futsal (Miguel Almeida, Paulinho, Fábio Cecílio (2); Fred Torres, Cristiano, Baião)
AD Fundão 5-1 Modicus (Couto (3), André Sousa, Anílton; Gabriel)
Leões Porto Salvo 3-2 SL Benfica (Diogo Santos, Dura, Ré; Ricardo Fernandes, Serginho)
Rio Ave 2-2 SL Olivais (Israel, Tiaguinho; João Marçal, Paquete)
Vila Verde 3-5 Belenenses/EL Pozo (Pacheco, Pinto, César; Tiago Carvalho (2), Pauleta, Cautela (2)
Boavista 6-4 Académica (Pedro Silva, Ivan, Edivaldo, Eskerda (p.b.), Norinho; Pedro Marques (2), Eskerda, Gaj Rosic)
Dramático Cascais – Sporting CP (15 Janeiro às 21h)

Esta jornada proporcionou um leque de jogos muito interessante, onde se destaca o embate entre Leões de Porto Salvo e Benfica, disputado em Oeiras. Quem não viu o jogo dirá que é um resultado bastante surpreendente. Mas quem acompanhou em direto fica com a sensação de que o LPS é um justo vencedor. Rematou menos que o Benfica, é um facto. Na segunda parte, baixou o bloco e procurou manter a sua vantagem no marcador, com saídas rápidas para contra-ataque sempre que possível, é outro ponto assente. O facto de, ao intervalo, o marcador registar 3-0 para a equipa da casa explica em parte a menor ousadia da equipa, que, é importante registar, é amadora. Por outras palavras, é uma formação composta por jogadores que têm um emprego para lá do futsal. Mesmo assim, vestiram a pele de David e tombaram o Benfica, num jogo divergente no que diz respeito aos dois blocos de 20 minutos de jogo. Na primeira metade, um Benfica apático, desorganizado, desinspirado, permeável na defesa, ante uma equipa que fez inteiro jus ao nome – autênticos leões em campo, tal a sua garra e atitude. Encontramos um padrão nos golos da equipa vencedora no jogo de hoje. Surgiram de erros defensivos do Benfica, aproveitados com mestria por parte de Diogo Santos, Dura e Ré (autores do primeiro, segundo e terceiro golos, respetivamente).

Anúncio Publicitário

Na etapa complementar, o Benfica tomou, naturalmente, as rédeas do encontro e pressionou o seu adversário, bastante mais recuado no terreno. Contudo, e após a expulsão de Rafael Hemni, para o lado do Benfica, que deixou a equipa encarnada a jogar em inferioridade numérica durante dois minutos (sensivelmente entre os 31 e os 33 minutos de jogo), o Benfica haveria de reduzir a diferença no marcador. Mão na bola de Dura, que levaria aí o segundo amarelo e consequente vermelho, a proporcionar um penalty para o Benfica, convertido por Ricardo Fernandes (a 4.12 minutos do fim). A aproximadamente dois minutos do fim, e quando o Benfica jogava em 5×4 (guarda-redes avançado), Serginho colocou ainda mais emoção no marcador, reduzindo para 3-2. Até ao fim, os LPS seguraram a vantagem, e festejaram efusivamente a sua conquista, que segura ainda mais a equipa na quarta posição.

Quem aproveitou o deslize encarnado foi o SC Braga, que é à condição o novo líder, tendo de esperar pelo embate entre Dramático de Cascais e Sporting para saber se preserva o seu estatuto. Uma vitória difícil e suada ante o Póvoa Futsal, por 4-3, a garantir por mais um jogo a invencibilidade do conjunto bracarense em casa (nove vitórias em outros tantos jogos). Um ponto de avanço em relação aos perseguidores Sporting e Benfica, quando faltam disputar oito jogos (nove, no caso do Sporting).

Paulo Tavares
Paulo Tavares é o treinador responsável pela excecional época do SC Braga
Fonte: A Bola

Em Vila do Conde, o Rio Ave continua a sua campanha um pouco desapontante no principal escalão do futsal português. Um empate caseiro, diante do penúltimo classificado, o SL Olivais, a duas bolas foi o resultado final. Destaque para o golo do empate, que surgiu nos segundos finais, da autoria do jogador do SL Olivais, Paquete. O Rio Ave mantem-se fora dos lugares de acesso ao play-off, estando atualmente no 10º lugar. Já o Olivais está na zona de despromoção, mas a apenas um ponto do 12º classificado (Académica).

A AD Fundão parece estar a reencontrar o seu melhor futsal. Semifinalista na edição 2012/2013 do campeonato, a turma de Joel Rocha goleou o Modicus, por 5-1. Apesar do parcial desnivelado, a equipa do Modicus esteve na frente do marcador até praticamente ao intervalo, quando Couto empatou aos 19 minutos. Com este resultado, as equipas trocam de posições, estando a AD Fundão agora em sétimo e o Modicus em oitavo.

Cada vez mais, o SC Vila Verde parece condenado à despromoção. Mais uma derrota, desta vez em casa, perante o Belenenses. Exibição competente da equipa forasteira, que venceu por 5-3 e consolidou a sua posição de acesso ao play-off, estando em sexto lugar neste momento. O Vila Verde segura a lanterna vermelha, com apenas nove pontos, em 18 jogos.

Finalmente, o Boavista obteve uma vitória suada diante da Académica, que volta a marcar passo na luta pelo top 8. No fim dos 40 minutos, o resultado foi de 6-4, tendo o Boavista estado sempre na frente do marcador. A equipa axadrezada segue, neste momento, no quinto lugar da tabela, estando em posição privilegiada para atingir o objetivo final de estar entre os oito melhores. Já a Académica navega por águas muito intranquilas, estando necessitada de uma vitória no próximo compromisso para melhorar a sua situação atual.

Classificação da 18ª jornada Fonte: zerozero.pt
Classificação da 18ª jornada
Fonte: zerozero.pt

Temos, para já, o Braga na frente, mas pode ser de pouca duração, caso o Sporting vença em Cascais, na próxima quarta-feira. Esse jogo, a par do Póvoa Futsal-Académica, a ser disputado em fevereiro, são os únicos jogos em atraso na Liga. Para já, irá haver um interregno de sensivelmente um mês, para dar lugar à realização do Campeonato Europeu de Seleções. Resta-nos, então, no fim do mês de janeiro e início de fevereiro, pendurar os cachecóis dos nossos clubes e colocar o da nossa seleção, que se desloca à Bélgica para tentar conquistar, pela primeira vez, essa competição tão importante. Mas terei tempo, nas próximas crónicas, para explicitar tudo aquilo que há para saber acerca desse torneio.