A CRÓNICA: O 14.ª TÍTULO DO INTER MOVISTAR

A final do campeonato espanhol teve um pouco de tudo. Emoção até ao fim, alegria e tristeza de jogadores de parte a parte. No duelo particular entre portugueses, o Inter Movistar FS de Ricardinho (apesar de não ter jogado nesta fase final) levou a melhor sobre o Viña Albali Valdepeñas de Edu Sousa (guardião com uma exibição à qual já nos habituou, muito ingrata mas quase imaculada na segunda parte, apesar de não ter tido muito trabalho).

Em relação ao jogo, o Inter Movistar FS jogava com dois resultados, pois sabia que um empate seria suficiente para se sagrar campeão espanhol pela 14.ª vez. Uma primeira parte ingrata e nem sempre bem jogada, com o emblema madrileno a provar porque é um clube temível. Estava bem na generalidade a defender e muito eficaz no processo ofensivo, tendo apontado três tentos contra apenas um do seu rival. O Viña Albali Valdepeñas cometeu muitos erros defensivos e não esteve muito bem na altura de finalizar.

O prejuízo era grande para recuperar, mas se há coisa que o clube de Edu mostrou é que nunca desiste de lutar, como provou pela recuperação épica contra o CA Osasuna Magna nos quartos-de-final (recuperação 0-4 para 4-4 na segunda metade).

Anúncio Publicitário

Os últimos 20 minutos começaram com uma pressão alta do terceiro classificado da fase regular, perante uma boa organização defensiva do Inter Movistar FS, sem nunca descurar o contra-ataque. Houve algumas boas ocasiões de golo, mas Edu Sousa e os postes mantiveram a incerteza no placar até ao fim.

Houve uma boa reação do Valdepeñas, que marcou dois tentos, mas tal não foi suficiente para inverter o rumo dos acontecimentos e o Inter Movistar FS tornou-se campeão. O clube de Ricardinho, que se despediu hoje do seu clube que representava há sete anos, conquistou assim mais um troféu e provou porque é a equipa mais respeitada e temida de Espanha e da Europa.

A FIGURA

Tino Pérez – Muito criticado pelas mais variadas individualidades – mesmo dentro do clube, incluindo o presidente -, o treinador espanhol conseguiu levar o clube à gloria no campeonato. Apesar de algumas situações menos agradáveis, conseguiu unir o plantel e conquistar desta maneira o título no país vizinho.

O FORA DE JOGO

Erros defensivos do Viña Albali Valdepeñas – A época do clube foi memorável e brilhante, mas houve alguns erros cometidos a nível defensivo que penalizaram a equipa. Neste nível os erros pagam-se muito caro e aqui está a prova.

ANÁLISE TÁTICA – INTER MOVISTAR FS

Na primeira parte mostrou ser uma equipa habituada a estes momentos que são as finais. Entrou da melhor forma e marcou logo o primeiro ainda com pouco tempo jogado. Pito e Borja foram as grandes individualidades do Inter Movistar FS, que estavam endiabrados e muito eficazes. Do lado defensivo contavam com um Jesus Herrero muito forte entre os postes e com uma grande organização defensiva.

Na segunda parte foram uma equipa mais pragmática. Não tentou fazer um jogo de ataque continuado e mostrou o enorme respeito pelo adversário ao adotar um estilo mais conservador, atento à manobra defensiva sem nunca descurar uma hipótese de contra-ataque. Esta postura podia ter sido um tremendo erro não fosse a consistência defensiva de alguns jogadores.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Jesus Herrero (6)

Carlos Ortiz (7)

Borja (7)

Pola (6)

Pito (8)

SUBS UTILIZADOS

Elisandro (6)

Raya (6)

Bebe (6)

Marlon (6)

Humberto (6)

ANÁLISE TÁTICA – VIÑA ALBALI VALDEPEÑAS

Defensivamente, a equipa de Valdepeñas mostrou estar muito ansiosa em diversos lances e isso tornou-se capital para aquilo que eram as pretensões para esta final, principalmente o momento em que faltavam pouco mais de um minuto para o final do 1.º tempo. Ofensivamente, mostravam-se muito perigosos nos remates de longa distância, que não surpreendiam de todo o guardião do Inter Movistar FS. Se não fosse a falta de eficácia em alguns momentos, teríamos tido ainda mais emoção.

Na segunda parte, o Viña Albali Valdepeñas tornou-se uma equipa ainda com mais vontade e muito mais perigosa. Definiu uma tática mais ousada muito por causa da desvantagem no marcador. Conseguiu encostar o Inter Movistar FS às cordas e fazer um encontro muito positivo, dominando as estatísticas em termos de ataques e remates. Um digníssimo vencido. O escasso tempo e a jogar mais com o coração do que com a cabeça levaram a que a equipa de Valdepeñas não conseguisse, nos últimos minutos, impor mais o cinco para quatro.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Edu Sousa (7)

José Ruiz (6)

Cainan (7)

Chino (6)

Pablo Ibarra (6)

SUBS UTILIZADOS

Terry (6)

Juanan (6)

Rafael Rato (7)

Buitre (6)

Catela (6)

Dani Santos (6)

Nano (6)

Foto de Capa: Inter Movistar FS

Comentários