A CRÓNICA: VITÓRIA DIFÍCIL, MAS SABOROSA EM JOGO COM POUCAS OPORTUNIDADES

Este encontro, a contar para a primeira jornada da Ronda de Elite do apuramento para o campeonato do Mundo 2020 – Grupo A, já se previa teoricamente difícil dado a fase mais avançada da competição e a valia sobretudo coletiva do nosso adversário.

Uma primeira metade algo cinzenta de Portugal, com um ligeiro ascendente, mas sem criar situações de real perigo na baliza adversária. A Bielorrússia procurava um contra-ataque rápido para poder marcar e, no último minuto do primeiro tempo, foi feliz. O intervalo chegava com um resultado muito penalizador (0-1), pelo que era necessário retificar algumas situações no tempo de descanso.

A segunda parte iniciou-se da mesma forma. Mais iniciativa portuguesa, mas sem criar situações de verdadeiro sobressalto, até que, a cerca de 12 minutos e meio do fim, Cardinal fuzilou o guardião adversário numa finalização de excelência a conseguir empatar o jogo. A reviravolta ocorreu a oito minutos do fim, através de uma boa finalização de Tiago Brito com o seu pé menos forte, o direito.

Anúncio Publicitário

Com a desvantagem no marcador, a Bielorrússia tinha que sair da “toca” e arriscar um pouco mais para tentar resgatar, no mínimo, uma igualdade. Mas tal não aconteceu, nem mesmo com o recurso ao guarda-redes avançado nos minutos finais. A vitória acabou por sorrir a Portugal, num triunfo complicadíssimo, mas saboroso e muito festejado no final do jogo. Um jogo onde os bielorrussos estiveram bem, sobretudo na eficácia defensiva, pois raramente criou problemas na sua fase ofensiva, com exceção do golo.

A FIGURA

Fonte: FPF

Fernando Cardinal – Conseguiu abrir caminho à vitória, quando estávamos desesperadamente à procura do empate. Os melhores jogadores são assim: aparecem quando a equipa mais precisa deles.

O FORA DE JOGO

Fonte: FPF

Pouca objetividade portuguesa – Hoje deu para ganhar, mas era importante conseguir corrigir esse aspeto nos próximos jogos. O adversário teve mérito, obviamente, mas há que tentar melhorar já amanhã.

ANÁLISE TÁTICA – PORTUGAL

Portugal tentou entrar no encontro de forma dominante, mas sem ser sempre muito objetivo no encontro. Contudo, a vitória assenta bem à seleção portuguesa.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

André Sousa (7)

João Matos (7)

Bruno Coelho (7)

Ricardinho (7)

Cardinal (8)

SUBS UTILIZADOS

Fábio Cecílio (7)

Pedro Cary (7)

André Coelho (6)

Pany Varela (6)

Tiago Brito (8)

Miguel Ângelo (7)

ANÁLISE TÁTICA – BIELORRÚSSIA 

A estratégia da equipa leste europeia era clara: jogar no erro português e apostar no contra-ataque. Tirando o golo, raras foram as ocasiões de perigo junto da baliza de André Sousa. Defensivamente, jogo quase perfeito dos bielorrussos.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Vladimir Stremilov (8)

Anton Gusakov (6)

Denis Kolb (6)

Vasily Zharikov (6)

Yuri Rabyko (6)

SUBS UTILIZADOS

Pavel Rogovik (6)

Aleksandr Chibisov (6)

Igor Scherbich (6)

Anton Matveenko (6)

Artem Kozel (6)

Vladislav Selyuk (6)

Vladimir Zhigalko (6)

Oleg Gorbenko (6)

Foto de Capa: FPF

Artigo revisto por Joana Mendes