Cabeçalho modalidadesEste jogo, o primeiro a eliminar, relativo aos quartos-de-final do Euro 2018, não começou da melhor forma para as nossas cores, pois logo no primeiro minuto o Azerbaijão adiantou-se no marcador, fruto de um remate do meio da rua de Gallo, que parecia inofensivo, só que a abordagem do guardião André Sousa não foi a melhor e o esférico entrou mesmo na nossa baliza. Em desvantagem pela primeira vez neste campeonato europeu, a reação dos nossos jogadores não podia ter sido melhor, pois Pedro Cary marcou pouco depois e devolveu o empate. Durou menos de dois minutos a vantagem azeri, uma vez que o empate chegou ao minuto dois . O algarvio continuou a inspiração em termos ofensivos, ao marcar o golo que deu a vantagem a Portugal e a tornar-se um dos melhores marcadores do Euro, com quatro tentos apontados.

A partir daqui, só deu Portugal, que ainda haveria de marcar mais três golos, um de Pany Varela e dois do maestro Ricardinho, o último dos quais enquanto o país do leste europeu estava a jogar com guarda-redes avançado. A exibição deslumbrante da nossa seleção prosseguiu na segunda metade, exímios a defender o 5×4 e muito sólidos no contra-ataque, espelhados no parcial de 3-0 na última parte, com mais dois golos apontados por Ricardinho, algo que o permitiu isolar-se na liderança dos melhores marcadores, com seis golos, e também Bruno Coelho teve a oportunidade de fazer o gosto ao pé, ao apontar o sexto golo. Em suma, foi uma vitória justíssima dos comandados de Jorge Braz, com um pequeno sobressalto a abrir mas que foi prontamente emendado.

Ricardinho é o melhor marcador deste Euro 2018, com seis golos em três jogos  Fonte: FPF
Ricardinho é o melhor marcador deste Euro 2018, com seis golos em três jogos
Fonte: FPF

Nas meias-finais, espera-nos a poderosa Rússia, num jogo que será disputado na quinta-feira, em hora ainda por definir. Por último, queria só aproveitar para dizer que nós somos a única equipa que ganhou todos os seus jogos nesta edição do Europeu, e caso continuemos com esta raça, querer e vontade, tudo é possível, pois não vejo nenhuma outra equipa a jogar tão bem. Veja-se, por exemplo, o caso da Espanha, que só venceu o Azerbaijão por 1-0. Os campeonatos cada vez estão mais competitivos e equilibrados, o que torna ainda mais raro e difícil acontecerem resultados desnivelados como este que presenciámos.