Terminou a fase regular do primeiro escalão do futsal português e o SL Benfica acabou por ser o líder com 75 pontos, mais dois do que o Sporting CP. Está assim encontrado o clube que pode ter alguma vantagem, ou não, caso chegue à final. Pois, terá a oportunidade de jogar o primeiro jogo no seu reduto e também, em caso de negra, de jogar o último.

Mas será mesmo importante ganhar a primeira fase da liga? A verdade é que desde que existem play-offs na liga (2004/05) o vencedor da fase regular foi quase sempre o campeão nacional. Houve apenas duas ocasiões em que isso não aconteceu e ambas as vezes os “encarnados” foram os vencedores da primeira fase, acabando por não erguer o título no final da época.

Em 2010/11, o SL Benfica até se superiorizou aos seus adversários no primeiro momento do campeonato com um registo imaculado. As “águias” foram líderes com 23 vitórias, três empates e sem nenhuma derrota. SL Benfica e Sporting CP, segundo lugar, acabaram separados por nove pontos, mas na final a conversa foi outra.

Numa final à melhor de cinco, os “leões” precisaram apenas de três jogos para derrotar o grande rival e sagrarem-se campeões. A equipa do Sporting CP, então comandada por Orlando Duarte, foi a primeira formação a conseguir quebrar a tradição do vencedor da fase regular ser também o campeão nacional.

Mais do que justa, a vitória do Sporting foi clara e inequívoca, pela excelente entrada em jogo dos leões e pela passividade defensiva dos bracarenses
O Sporting CP foi a equipa que fugiu à regra e foi campeão duas vezes sem vencer a fase regular” Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Em 2013/14, o SL Benfica, novamente, terminava a fase regular como líder, se bem que com os mesmos pontos – 68 pontos – que o Sporting CP. Porém, nos jogos dos play-offs, os “encarnados” acabaram por ser surpreendidos nas meias finais por um AD Fundão em excelente forma e que já tinha ganho a Taça de Portugal dessa temporada ao SL Benfica.

A equipa da Beira Baixa teve a possibilidade de discutir a liga com os campeões em título, o Sporting CP, mas acabou por perder. Os “verdes e brancos” não deram muitas hipóteses à equipa estreante na final e venceram em apenas quatro jogos (3-1). A equipa leonina, que era já treinada por Nuno Dias, conseguiu pela segunda vez ganhar a liga sem ter ganho a fase regular.

Nas quatorze vezes que se disputou o play-off de campeão, doze títulos foram ganhos pelo vencedor da fase regular, ou seja, é quase sempre o mesmo clube nos dois momentos da época. É um indicador que raramente falha e que pode ter um peso acrescido na altura de entrar em campo. Porém, há que sempre ter cautela visto que numa fase a eliminar tudo pode acontecer e as equipas que ficaram em posições inferiores podem surpreender.

Entramos no momento da época de que todos – adeptos e jogadores – gostamos: o play-off de apuramento de campeão. É difícil não achar emocionante o facto de todas as partidas serem importantes e o mínimo deslize pode significar a eliminação da competição e, consequentemente, o fim da temporada. Veremos se o vencedor da fase regular se impõe e ganha a liga ou se, pelo contrário, teremos uma surpresa no final.

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Comentários