A taça da Liga de futsal ainda é relativamente recente (esta é apenas a sua quarta edição), mas já se está a tornar um hábito iniciarmos um novo ano com futsal de grande nível, proporcionado pelas oito melhores equipas na primeira volta do campeonato, isto é, após o término da 13ª jornada.

Já nesta quinta-feira tivemos os dois primeiros jogos da competição, relativos aos quartos-de-final. O grande equilíbrio nos jogos foi a nota dominante, com os dois encontros do dia a serem decididos na marca de grandes penalidades, de onde saíram os nomes do SC Braga e da AD Modicus Sandim como primeiros integrantes do top 4 desta competição, após eliminarem, respetivamente, AD Fundão e Leões de Porto Salvo.

O SC Braga é um dos clubes já apurados para as meias-finais, a par do Modicus
Fonte: Sporting Clube de Braga

Na sexta-feira entram em campo o Sporting CP, que defronta o Elétrico FC de Ponte de Sor, e o SL Benfica, tendo como oponente o FC Azeméis. Em termos de discussão final da prova, tudo indica que serão os velhos rivais da segunda circular, mas não podem subestimar os adversários, pois em várias ocasiões nestes últimos anos os grandes já tombaram perante as equipas ditas “pequenas”, não só nas taças, como também no play-off final do campeonato.

A “besta negra” do Benfica nesta prova já foi eliminada, pois o clube encarnado foi eliminado duas vezes nos quartos-de-final pela desportiva do Fundão. Esta final eight joga-se a sul do país, mais concretamente no Pavilhão Municipal de Sines, onde teremos oito equipas (agora apenas seis, com os resultados já conhecidos) a lutar com tudo por este troféu, que é o primeiro discutido no ano de 2019.

Será que Sporting e Benfica vão manter a sua hegemonia na conquista desta taça (nas três edições anteriores, duas foram ganhas pelos leões, sempre em finais contra o Fundão, e outra pelas águias, na temporada passada)? Ou será que iremos ver um dos outros conjuntos a brilhar e a levar o troféu consigo?

Estas duas perguntas apenas terão resposta após a conclusão da final, no domingo. Até lá, resta-nos desfrutar da qualidade de jogo das melhores equipas do país campeão da Europa nesta modalidade e verificar que também há muita qualidade nos jogadores e equipas técnicas dos clubes amadores, provando mais uma vez que a sua ascensão a profissionais já peca por tardia.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: FPF

Comentários