logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SC Braga 2-5 SL Benfica: A magia de Robinho

A CRÓNICA: ÁGUIAS VENCEM GUERREIROS ANTES DA TAÇA DA LIGA

Em Braga, no Pavilhão Desportivo da Universidade do Minho, os locais receberam os lisboetas na 16.ª Jornada da Liga Placard 2021/22. Este duelo marcou os reencontros de Joel Rocha, Vitor Hugo, Fábio Cecílio, Tiago Correia e Tiago Brito com o Benfica e, em sentido inverso, de Nilson e Bruno Cintra.

Com Jorge Braz, Pedro Dias e António Salvador nas bancadas, a partida começou equilibrada nos primeiros momentos, até que, ao minuto sete, Allan Guilherme inaugurou o marcador (1-0). Reposição lateral cobrada por Rudi, a defesa do Benfica não aliviou da melhor forma e Allan aproveitou para atirar para o fundo das redes. À passagem dos dez minutos, lance de bola parada para o Benfica, com Rómulo a aproveitar uma desatenção defensiva para empatar a partida (1-1).

O SC Braga respondeu de imediato: após um erro do Benfica na saída com bola, Tiago Brito recuperou e, sem André Sousa na baliza, atirou para o 2-1. A resposta encarnada deu-se de imediato, através de um livre de longe, que foi batido diretamente para a baliza por Rómulo, Chishkala ainda se atravessou à frente de Leandro Costa e enganou o guarda-redes (2-2).

A cinco minutos do intervalo, a equipa de Joel Rocha alcançou as cinco faltas e, logo a seguir, viu Silvestre atirar ao poste da baliza de Leandro. Contra este ímpeto do Benfica, no minuto seguinte foi Rúben Santos quem esteve perto do golo, mas perdeu o duelo com André Sousa. Aos 19’, o Braga cometeu a sua sexta falta e Arthur assumiu a cobrança. O internacional brasileiro tentou o remate em jeito, mas a bola saiu por cima. A 14 segundos do intervalo, Joel Rocha pediu a sua pausa técnica, mas quem aproveitou foi o Benfica. Robinho recebeu à entrada da área, driblou Fábio Cecilio, ludibriando-o, e atirou rasteiro, de pé esquerdo, para o golo da reviravolta (2-3).

Na segunda parte, a partida voltou a começar equilibrada e, novamente ao minuto sete, o “nó” voltou a desatar-se. Canto na direita cobrado pelo ar por Robinho, Arthur apareceu sozinho ao segundo poste, à entrada da área, a rematar de primeira, em vólei, com o pé esquerdo, para o 2-4. Logo a seguir, livre curto cobrado por Henmi, Robinho rematou de primeira e a bola entrou no ângulo superior direito da baliza do Braga (2-5). Mais um belo golo do internacional russo que chegou assim aos quatro tentos na prova – à semelhança de Rómulo, marcou metade dos golos nesta partida. Até final, o resultado não sofreu mais alterações e o Benfica venceu por 5-2.

Com esta vitória, as águias regressam às vitórias e alcançam os 38 pontos, mantendo os quatro pontos de avanço sobre a AD Fundão. Já os bracarenses mantém os 19 pontos e a oitava posição, estando apenas a dois pontos da “linha de água”. Na próxima semana, Benfica e Braga rumarão a Loulé para disputar mais uma edição da Taça da Liga.

 

A FIGURA

Robinho
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Robinho – Quem mais poderia ser? Com dois golos e uma assistência – de excelência, diga-se – Robinho assumiu a batuta e levou a sua equipa à vitória. É dos melhores jogadores do mundo a nível técnico e hoje mostrou o porquê de ser o capitão. Quando a equipa precisou do “génio”, Robinho não defraudou as expetativas.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: SC Braga

Segunda parte do SC Braga – A equipa de Joel Rocha até entrou bem na partida e realizou uma boa primeira parte, conseguindo fazer frente ao plano ofensivo das águias. Porém, a segunda parte foi o total descalabro e a vitória acabou por não sofrer grande contestação. O golo de Robinho, nos segundos finais do primeiro tempo, certamente não terá ajudado animicamente.

 

 

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

A equipa de Joel Rocha começou com menos bola, como seria de esperar. Perante a pressão alta e constante das águias, Joel Rocha adotou um jogo mais direto e conseguiu tirar os dividendos. Até aos últimos segundos da primeira parte, o SC Braga esteve sempre por dentro da partida e deu bastante trabalho ao seu adversário. A partir daí… Foi para esquecer.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Leandro Costa (6)

Fábio Cecílio (7)

Tiago Brito (7)

Vitor Renoldi (6)

Rúben Santos (6)

SUBS UTILIZADOS

Vitor Hugo (6)

Ricardo Lopes (6)

Vitor Hugo Silva (6)

Serginho (6)

Tiago Correia (6)

Rudi (7)

Allan Guilherme (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

A equipa de Pulpis começou em desvantagem, empatou, voltou a sofrer logo a seguir e só conseguiu voltar a empatar em cima do minuto 20, muito por “culpa” do génio individual de Robinho. Com uma pressão alta, intensa e uma equipa bastante coesa, o SL Benfica conseguiu anular o SC Braga e o resultado começou a adensar-se, vencendo justamente.

 

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Sousa (7)

Nilson (7)

Bruno Cintra (7)

Carlinhos (7)

Tayebi (7)

SUBS UTILIZADOS

Rómulo (8)

Afonso Jesus (7)

Silvestre (7)

Arthur (7)

Rafael Henmi (7)

Robinho (9)

Chishkala (8)

 

Artigo redigido por Tiago Alexandre

Foto de capa: Carlos Silva / Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA