Cabeçalho modalidades

Os lisboetas e bracarenses defrontaram-se no pavilhão da Universidade do Minho, no segundo jogo da final da Liga SportZone. Em desvantagem na eliminatória, a turma bracarense não podia pedir uma melhor entrada na partida. Com apenas 11 segundos decorridos, Tiago Brito inaugurou o marcador a favor dos locais. O internacional português tabelou com Nilson e bateu Marcão com um remate colocado. Os “leões”, com várias ausências como Fortino, Cavinato e Leo, tentaram imediatamente restabelecer a igualdade, instalando-se no meio campo arsenalista.

Os pupilos de Paulo Tavares mostravam solidez no setor mais recuado, com Nilson e André Coelho a liderarem a muralha em torno da baliza de Xot. Como diz o ditado, “quem não marca, sofre” e foi precisamente o que aconteceu ao Sporting. Após uma perda de bola no meio campo, Marinho encontrou Bruno Cintra, que não perdoou na cara do guarda-redes contrário. O Sporting continuava a pressionar e conseguiu reduzir para 2-1 com uma “bomba” de Alex Merlim. Apesar das várias oportunidades de golo, Xot continuava imperial na baliza, apesar das tentativas dos lisboetas. Aos poucos, os de Alvalade mostravam alguma displicência na finalização, o que permitiu aos bracarenses levarem a vantagem tangencial para as cabines.

No segundo tempo, o cenário manteve-se: o Sporting insistia, em busca da igualdade, enquanto que os bracarenses continuavam a resguardar-se junto à sua área. Tal como aconteceu nos primeiros 20 minutos, os minhotos surpreendiam no contra-ataque e foi assim que surgiu o terceiro golo dos arsenalistas: aproveitando uma desatenção dos “verde e brancos”, André Machado estava no sítio certo para ampliar a vantagem do Braga aos 23 minutos. Nuno Dias não estava satisfeito e fez algumas alterações táticas na pausa técnica. Estas mudanças foram acertadas, visto que os leões chegaram à igualdade na partida: aos 30 minutos, a sorte esteve do lado de Merlin, que viu o seu remate a ser desviado, traíndo Xot; quatro minutos depois, Dieguinho teve a frieza necessária para fazer o 3-3, com um remate de calcanhar em cima da linha de golo.

O caudal ofensivo dos leões era cada vez mais e só não teve resultados práticos ao minuto 36 porque Tiago Brito cortou, à queima-roupa, uma bola com selo de golo. Marcão, na outra baliza, não foi tão feliz. Num momento de loucura do guardião brasileiro, Nilson aproveitou e voltou a colocar os bracarenses na frente do marcador aos 37 minutos. Nuno Dias lançou todas as cartas para cima da mesa e implementou o 5×4 a três minutos do final. A tentativa ousada do técnico leonino revelou-se fatal para as aspirações dos seus pupilos, com Tiago Brito a aproveitar uma bola perdida e fazer o 5-3.

Anúncio Publicitário

A um minuto do fim, Cary ainda reduziu mas o SC Braga/AAUM conquistou a vitória e igualou a eliminatória. No próximo sábado, os leões voltam a receber os bracarenses, no terceiro jogo da final da Liga SportZone de futsal.

Foto de Capa: SC Braga