logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SL Benfica 3-1 ADCR Caxinas: Águia voa para a meia-final

modalidades cabeçalho

A CRÓNICA: ENCARNADOS RESOLVEM NO INÍCIO DO SEGUNDO TEMPO E SEGUEM EM FRENTE NA TAÇA

Em Sines, Benfica e Caxinas encontraram-se na Final-Eight da Taça de Portugal 2021/22. No historial entre ambas, as águias levavam vantagem antes desta partida, tendo vencido os dois jogos da Liga, diante do Caxinas, realizados na época passada. Apesar do historial negativo, a equipa de Vila do Conde pretendia fazer história e alcançar pela primeira vez as meias-finais da prova, nesta que é a primeira vez que estão nos Quartos de Final. Em sentido oposto, os encarnados pretendiam chegar, pela nona época consecutiva, às meias-finais.

A partida começou equilibrada e assim continuou durante a primeira metade do primeiro tempo. Apesar do Benfica ter acumulado mais oportunidades de golo, a clamorosa chance saiu dos pés de Rúben Teixeira, que apareceu na cara de André Sousa, mas permitiu a defesa do internacional português.

Todavia, aos 12 minutos, o Benfica conseguiu traduzir todas essas oportunidades em golo (1-0). Rafa Henmi apareceu no flanco direito e rematou cruzado, a bola até ia para fora, mas embateu em Carlos Monteiro e só parou no fundo das redes. A partir do golo inaugural, os encarnados passaram a controlar melhor o jogo e a dominar a equipa do Caxinas. À passagem do minuto 15, Robinho recebeu um passe à entrada da área e, perante a saída de Pedro Ferreira, picou a bola para o 2-0, naquele que foi o melhor golo desta partida. Esse foi mesmo o resultado com que terminou o primeiro tempo, com a equipa de Pulpis a vencer justamente.

No segundo tempo, a estratégia estava bem delineada e passava por fazer o terceiro golo nos primeiros minutos. E assim foi. Com menos de 20 segundos jogados, Robinho recebeu de Chishkala e, de meia distância, rematou colocado para o 3-0. Os caxineiros reagiram ao golo sofrido com oportunidades de perigo junto da baliza do Benfica, até que, aos 25 minutos, um excelente trabalho individual de Zezinho obrigou André Sousa a defender para canto e, na cobrança, a bola foi para o interior da área, o guarda redes internacional português deixou-a escapar das suas mãos e a mesma acabou no fundo da sua baliza (3-1).

Zezinho e o Caxinas estavam irreverentes no desafio e criaram bastante perigo junto da baliza do Benfica, que tentava impor o seu ritmo à partida e controlar as investidas do seu adversário. A dois minutos do fim, Nuno Silva apostou no cinco para quatro, com Raúl Moreira a envergar a camisola de guarda redes avançado. Apesar disso, o marcador não sofreu mais alterações e o Benfica acabou por qualificar-se.

A vitória lisboeta não sofre qualquer contestação. O Benfica venceu justamente, mas o 3-1 elucida bem o que foi o jogo. Foi uma partida sofrida, com a irreverência e a juventude do Caxinas a causarem grandes dificuldades à equipa de Pulpis. No entanto, a experiência dos jogadores e o facto dos vila-condenses estarem na 2.ª Divisão, acabou por pesar. Amanhã, às 21 horas, o Benfica medirá forças com outra equipa da divisão abaixo, o CS Marítimo.

 

A FIGURA

Fonte: Bola na Rede

Robinho – Já começa a ser uma escolha habitual quando falamos em jogos do Benfica, ao ponto de começarem a faltar palavras para descrever este “mágico” russo que nasceu no Brasil. Está na fase descendente da sua carreira, mas continua a espalhar magia pelas quadras que pisa e hoje, uma vez mais, não defraudou os espetadores que compraram o bilhete. Marcou um golo de levantar o pavilhão e deu o conforto que a sua equipa precisava no início do segundo tempo. A braçadeira assenta-lhe que nem uma luva e nós portugueses somos uns privilegiados por ter Robinho no nosso Campeonato.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Bola na Rede

Jacaré – Jacaré aparece aqui apenas por mera “cortesia”. Numa partida tão nivelada, equilibrada e bem disputada, não houve nenhum elemento a estar verdadeira “fora de jogo”. Jacaré, talvez seja o que mais se aproxima. Não começou de início mas foi entrando nas constantes rotações promovidas por Pulpis. O “problema” é que nas vezes em que esteve em campo, foi completamente anulado por Raúl Moreira, com o jovem fixo de 19 anos a ganhar a maioria dos lances. Jacaré não apareceu na partida e o “culpado” foi o seu defensor direto.

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Pulpis entrou para esta partida em modo gestão, deixando de fora algumas das suas peças e apostando num cinco inicial com algumas surpresas. Foi surpreendido pela irreverência do Caxinas mas, nas alturas certas, a sua equipa não vacilou e colocou-se confortavelmente na frente do marcador. Apesar do golo sofrido e de ter entrado em modo controlo, as águias continuaram a criar oportunidades e podiam ter dilatado o marcador.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Sousa (7)

Rómulo (7)

Bruno Cintra (7)

Carlinhos Monteiro (8)

Hossein Tayebi (7)

SUBS UTILIZADOS

Martim Figueira (6)

Afonso Jesus (7)

Silvestre Ferreira (7)

Rafa Henmi (8)

Robinho (9)

Ivan Chishkala (7)

Rocha (7)

Jacaré (6)

ANÁLISE TÁTICA – ADCR CAXINAS

Os raçudos caxineiros voltaram a mostrar que merecem estar entre os grandes e o porquê de estarem a lutar pela subida de divisão. Engane-se quem pensa que Nuno Silva alterou a sua estratégia de jogo por estar a jogar contra o Benfica. Manteve as suas linhas subidas, a pressionarem no campo todo e equilibraram a partida frente à segunda melhor equipa da Fase Regular. Apesar dos golos sofridos, nunca baixaram os braços e estiveram sempre em busca do golo. Com um plantel tão jovem, o futuro parece brilhante. Mérito ao Caxinas.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Ferreira (8)

Raúl Moreira (8)

Lúcio Rocha (8)

Rúben Teixeira (7)

Rodrigo Simão (7)

SUBS UTILIZADOS

Fábio Marafona (7)

Rafael Lira (6)

Paulinho (7)

Zezinho (8)

Ricardo Marques (7)

Preto (7)

Jackson Silva (7)

Foto de Capa: FPF

Artigo redigido por Tiago Alexandre

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA