SITE TEMPORÁRIO

22 de Janeiro, 2022

Sporting CP

Sporting CP 2-1 SC Braga: Vitória sofrida da turma verde e branca

A CRÓNICA: ENTRADA FORTE DOS LEÕES, MAS FIM (MUITO) SOFRIDO!

Este jogo, a contar para a sétima jornada da primeira divisão nacional, colocava frente-a-frente as equipas do Sporting CP e SC Braga, equipa minhota que contava com uma solução interina no banco de suplentes em virtude da demissão de Bruno Guimarães. Fala-se em Joel Rocha como possível sucessor, mas ainda nada é oficial, assumindo Luís Silva por enquanto.

O começo não foi, de todo, o melhor para os arsenalistas, com o emblema leonino a marcar no primeiro remate que realizou enquadrado com a baliza, através de um livre direto de Alex Merlim, com pouco mais de dois minutos jogados. Para uma equipa com níveis de confiança baixos, este é um dos piores golpes que a formação pode sofrer, mas a equipa bracarense estabilizou e aguentou as investidas do clube lisboeta, apesar do sinal mais da equipa caseira.

Como esperado, o Sporting CP mostrava-se mais dominante e rematador, parado por Vítor Hugo e pelos postes, quando o inspirado guardião não conseguia intervir. A primeira parte concluiu assim com a margem mínima, mantendo-se ainda o resultado completamente em aberto para os últimos 20 minutos.

A derradeira parte começou exatamente como a primeira, com a única diferença a residir no facto de que o tento de Alex Merlim ter acontecido ainda mais cedo, no decorrer do primeiro minuto, e ter sido em bola corrida desta feita. O que não mudou foi o marcador do golo, o italo-brasileiro que bisou na partida e dificultou ainda mais a já complicada tarefa dos bracarenses.

Os últimos minutos contaram com alguns motivos de interesse, mas já lá vamos. A segunda parte foi mais dividida, também por causa da maior contenção leonina devido ao maior número de faltas, atingindo as quatro nos primeiros cinco minutos, facto que viria a ser problemático à entrada dos cinco minutos finais, quando Tomás Paçó cometeu a sexta falta e permitiu um livre direto de dez metros, apontado por Rúben Santos.

Bernardo Paçó entrou para a baliza mas nem precisou de intervir, dado que o remate saiu por cima e gorou-se a oportunidade de ouro de poder reduzir o marcador.

Fonte: SCP Modalidades

Tiago Brito entrou para a função de guarda-redes avançado e certo é que tal alteração tática permitiu reduzir o marcador, num golo a meias entre Elisandro e Serginho, mas onde o remate do pivot internacional georgiano acabou mesmo por desviar no jogador português, adiando assim o primeiro golo do ex-jogador do SL Benfica e Inter Movistar FS no campeonato.

Nos segundos finais, Fábio Cecílio teve uma excelente ocasião de golo mas Guitta teve uma intervenção magnífica e agarrou os três pontos para os Leões.

Vitória justa mas muito sofrida do Sporting CP, muito por culpa da falta de eficácia leonina sobretudo na primeira parte.

A FIGURA

Fonte: SCP Modalidades

Alex Merlim (Sporting CP) – Mais uma grande exibição do jogador do Sporting CP, a marcar um golo, a contribuir de forma decisiva para o outro (é dele o remate que desvia em Tiago Brito e provoca o seu auto-golo) e portanto só poderia ser ele o destaque deste jogo, com claro destaque para as exibições de Guitta e Vítor Hugo.

O FORA DE JOGO

Fábio Cecílio (SC Braga) – Nada contra o jogador internacional, nem fez um jogo assim tão mau, mas é uma das caras deste projeto bracarense que tarda em fazer cumprir todo o entusiasmo que gerou junto da massa associativa. Duas vitórias em sete encontros não auguram uma época tão boa como se desejava, tal já provocou a queda do treinador principal e a equipa tem que mostrar muito mais, sob pena de esta época ser penosa.

ANÁLISE TÁTICA SPORTING CP

Nuno Dias montou uma equipa à sua imagem e sem grandes surpresas. Consistentes defensivamente e incisivos no ataque, pese embora a eficácia em ambos os setores tenha sido manifestamente insuficiente em alguns momentos mas a vitória não sofre contestação.

5 INICIAIS E PONTUAÇÕES

Guitta (8)
Erick Mendonça (7)
João Matos (7)
Diego Cavinato (7)
Alex Merlim (9)

SUPLENTES

Bernardo Paçó (7)
Tomás Paçó (7)
Pauleta (7)
Caio Ruiz (7)
Miguel Ângelo (7)
Zicky Té (7)
Waltinho (7)

ANÁLISE TÁTICA SC BRAGA

Aposta, como habitual, num sistema com pivot mais fixo no ataque, embora a grande mudança relativamente às equipas montadas por Bruno Guimarães fosse a aposta mais regular no 4×0 dinâmico, sem o pivot em campo. Fez um jogo interessante e poderia perfeitamente ter saído com pontos do Pavilhão João Rocha.

5 INICIAIS E PONTUAÇÕES

Vítor Hugo (8)
Pola (5)
Fábio Cecílio (5)
Tiago Brito (6)
Elisandro (6)

SUPLENTES

Ricardo Lopes (7)
Serginho (8)
Xandoca (7)
Tiago Correia (7)
Rúben Santos (6)
Allan Guilherme (7)

Foto de Capa: Bola na Rede