Anterior1 de 3Próximo

cab reportagem bola na rede

Não foi um bate-boca, mas foi parecido. Joel Rocha, treinador do SL Benfica, começou por afirmar que o Sporting CP era favorito a vencer a Supertaça. Nuno Dias, técnico do Sporting CP, comentou essas declarações «estratégia para aliviar pressão». Esta ‘discussão’, juntamente com a boa moldura humana e sonora sentida no Pavilhão Mário Mexia, contribuiu para que o dérbi se disputasse num clima ainda mais quente do que o calor que se fazia sentir fora das portas do recinto.

O Sporting CP fez jus às palavras do técnico contrário e entrou a mandar no jogo, chegando ao golo inaugural antes dos dois minutos de jogo por Pany Varela, num disparo a meio do meio-campo do SL Benfica.

Os encarnados conseguiram reagir, equilibraram o jogo, mas foi o adversário a ter a oportunidade de dilatar a vantagem, através de uma grande penalidade cometida por Hemni sobre Dieguinho, estavam decorridos 6 minutos e meio de jogo. Diogo, chamado à conversão, falhou, deu moral ao adversário, que aproveitou a “boleia” para igualar o marcador, um minuto depois. Hemni redimiu-se do lance do penalty e, numa jogada que parecia perdida, trabalhou sobre a linha lateral e disparou para o fundo das redes leoninas.

O equilíbrio, refletido no 1-1, foi nota dominante até ao intervalo.

Anúncio Publicitário

O segundo tempo começou de acordo com o início do primeiro: com o Sporting CP a mandar no jogo e… a desfazer a igualdade. Pedro Cary, aproveitou perda de bola encarnada para, em zona frontal, disparar para o 2-1 com três minutos decorridos no segundo tempo. Desta vez, o SL Benfica não conseguiu reagir tão bem e o Sporting CP esteve mais perto do terceiro que os encarnados do empate. Não contava, porém, que o seu guarda-redes falhasse um passe de forma proibitiva sobre a linha do meio-campo e que Chaguinha aproveitasse para igualar o marcador, num disparo efetuado… à entrada da àrea do SL Benfica.

O Sporting CP, desta vez, não ficou abalado pelo golo encarnado e manteve o domínio de jogo, ameaçou chegar ao golo… e concretizou essa ameaça. Pany Varela, novamente, devolveu a liderança do marcador aos leões. O Benfica tentou contrariá-la, usou guarda-redes avançado, mas não conseguiu evitar deixar escapar o título para o rival.

Num jogo entre duas das melhores equipas de futsal da europa, a vitória sorriu à equipa apontada como favorita pelo… treinador contrário.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários