No final deste mês, iremos assistir à Ronda de Elite do apuramento europeu para o Campeonato do Mundo FIFA 2020, que se disputará na Lituânia entre 12 de setembro e 4 de outubro deste ano. O grupo de Portugal nesta fase conta com grandes equipas como a Itália, a Bielorrússia e a Finlândia, num agrupamento que será disputado entre os dias 30 de janeiro e 2 de fevereiro.

Como apenas o líder do grupo garante apuramento direto para a fase final, é fulcral acabar na primeira posição para garantir entrada direta no Mundial, sendo que o segundo “apenas” garante vaga nos play-off.

Uma vez que existem sete vagas para seleções europeias, uma delas já ocupada pelo organizador da competição – Lituânia, quatro para os primeiros classificados de cada um dos quatro grupos desta ronda de Elite e mais duas na repescagem. Assim, os quatro segundos classificados disputam uma eliminatória, cruzando o grupo de Portugal (A) com o grupo B, composto por Espanha, Sérvia, Ucrânia e França, numa eliminatória a ser disputada nos dias 9 de 12 de abril.

Com o nosso estatuto até 2022 de campeões Europeus, e a jogar perante os nossos adeptos, a expetativa para estes confrontos é muito alta e espera-se futsal de grande qualidade a Norte do nosso país, num grupo que está muito longe de ser “fácil”.

Não é o “grupo da morte”, esse talvez seja o grupo da Espanha, mas há adversários de peso no futsal europeu, desde logo a “besta negra” de Portugal em competições internacionais. A forte seleção italiana, que tem um histórico claramente favorável com a seleção das quinas. Contra os transalpinos, nos 18 confrontos até hoje realizados, Portugal apenas conseguiu ganhar um amigável em 2013 (4-2). Os restantes resultados contam-se sete empates e dez vitórias dos transalpinos, incluindo triunfos em fases a eliminar do Euro 2014 (meias-finais), Mundial 2012 e Euro 2012 (quartos-de-final), referindo apenas confrontos mais recentes.

A história com a formação da Bielorrússia é completamente diferente. Em cinco jogos, houve quatro vitórias portuguesas e apenas um empate no Euro 2010. À partida, é um adversário teoricamente acessível, mas na fase anterior de qualificação para este Campeonato do Mundo, a chamada ronda principal, conseguiu empatar com a equipa italiana em casa do seu rival. Curiosamente, também nessa mesma fase, terminou o seu grupo na liderança partilhada com sete pontos.

Para finalizar, temos a Finlândia, adversário que apenas se cruzou no nosso caminho em duas ocasiões, com igual número de vitórias portuguesas, no apuramento para os campeonatos europeus de 2010 (2-1) e 2018 (1-5). Passou a ronda principal em segundo lugar, num grupo com a Espanha, Polónia e Geórgia, discutido na Polónia, deixando para trás a equipa da casa e a Geórgia.

Os dois primeiros jogos, com a equipa nórdica e a equipa leste-europeu, serão muito importantes para aferir o real momento de forma da equipa nacional, muito mais que os encontros de carácter amigável. Duas vitórias, tentando logo ganhar vantagem sobre a Itália, pelo menos nos golos marcados e na diferença entre marcados e sofridos, para poder chegar ao último jogo e, eventualmente, poder jogar com dois resultados possivelmente favoráveis.

A antevisão está feita, por isso iremos esperar pelo começo da competição e torcer pelo apuramento dos campeões europeus para o torneio de seleções mais importante a nível mundial.

Foto de Capa: FPF

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários