A CRÓNICA: BRACARENSES FORAM MAIS OBJETIVOS E ORGANIZADOS

Num dos capítulos finais da fase regular da I Divisão de Futsal, os dois clubes que ocupam os dois últimos lugares de acesso ao Play-off defrontavam-se em dois momentos diferentes da época. O anfitrião, Viseu 2001, encontra-se no pior momento com seis derrotas nos últimos sete jogos para o campeonato, depois de ter sido a surpresa no início da competição. Já o visitante, SC Braga, vinha de quatro vitórias consecutivas.

O duelo começou com a equipa da casa por cima na partida a exercer pressão alta sobre os arsenalistas. O Viseu 2001 não deixou praticamente o adversário sair do seu meio campo defensivo nos primeiros minutos da partida. O SC Braga só conseguia atacar, com bolas longas, lançadas pelo guarda-redes ou de um elementos de campo mais recuados.

Apesar do domínio inicial, os anfitriões não conseguiram criar grandes ocasiões de perigo. Exceção aos lances em que Otanha obrigou Vítor Hugo a uma defesa apertada e, pouco depois, na sequência da jogada, o jogador brasileiro atirou à barra.

O SC Braga conseguiu equilibrar nos dez minutos finais do primeiro tempo, acabando mesmo com maior ascendente. Houve boas chances para tanto uma como outra equipa finalizar. Destaque para os guarda-redes das duas equipas que impediram que houvesse golos até ao intervalo.

Anúncio Publicitário

A segunda parte começou praticamente com o golo do Braga. Aos dois minutos, numa jogada de insistência do ataque bracarense, Miguel Ângelo conseguiu arranjar espaço perante a muralha viseense e rematar de fora da área para o fundo da baliza de Bruno Felipe que poderia ter feito. De salientar que o remate entrou junto ao poste mais próximo do guarda-redes brasileiro.

O Viseu 2001 pegou nas rédeas da partida, mas era raro criar desequilíbrios. Já o Braga conseguia ter o espaço que queria no contra-ataque e aproveitou-o. A 12 minutos do fim do jogo, Samuel Costa conduziu a bola até à entrada da área e viu Lachaga a desviar para a baliza. No minuto seguinte, nova transição rápida, com Bolt a aproveitar o espaço livre para fazer o 0-3.

A equipa da casa ainda usou o 5×4, mas a boa organização do Braga e Vítor Hugo, com defesa importantes, evitaram até o golo de honra, que seria justo, para os anfitriões.

 

A FIGURA

Vítor Hugo – O veterano guarda-redes manteve a baliza inviolável. Apesar de ter também beneficiado da boa organização defensiva da equipa, o guarda-redes teve várias defesas e antecipações importantes durante a partida.

O FORA DE JOGO

Desorganização da defesa viseense – Mesmo no período de maior domínio do Viseu 2001 no jogo, a equipa nunca pareceu estar muito segura. Os bracarenses tiveram espaço para conseguir definir as jogadas. Pode ser falta de confiança, mas sofrer dois golos, em contra-ataque, no espaço de um minuto, quando estava a tentava reentrar no jogo, é grave.

 

ANÁLISE TÁTICA – VISEU 2001

Paulo Fernandes tentou surpreender o adversário com uma pressão alta, que deixava adversário sempre longe da sua baliza. Sem grandes desequilíbrios no ataque, usaram a meia distância como principal arma para atacar a baliza de Vítor Hugo.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Bruno Felipe (6)

Peixoto (7)

Kiko (5)

Lukinhas (6)

Rafa Stocker (5)

SUBS UTILIZADOS

Russo (5)

Lucas Amparo (7)

Daniel Ramos (5)

Matheus Jorge (5)

Lucas Otanha (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

Bruno Guimarães começou por explorar os passes longos e as transições rápidas, perante a pressão alta viseense. Com o passar dos minutos, a equipa bracarense equilibrou e conseguiu criar desequilíbrios no ataque, ao aproximar-se da baliza adversária.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Vítor Hugo (9)

Vítor Hugo Silva (7)

Miguel Ângelo (7)

Tiago Correia (6)

 Sérgio Costa (8)

SUBS UTILIZADOS

Nicholas Lachaga (8)

Foto De Capa: Pedro Filipe Silva / Bola Na Rede