A CRÓNICA: SEGUNDA PARTE DEU VITÓRIA AOS DRAGÕES

O FC Porto venceu, no Dragão Arena, o clássico frente ao SL Benfica no início da segunda volta da fase regular, por quatro bolas a duas.

A primeira parte foi equilibrada, sem um ascendente claro para nenhum dos lados. Os portistas acabaram por marcar primeiro numa transição rápida, entre Cocco, Di Benedetto e Mena, com o último a concretizar. No entanto, o Benfica chegou ao empate por Ordoñez, em cima do intervalo. Nicolia arrastou dois adversários e deixou o companheiro de equipa livre para finalizar.

Na segunda parte, os dragões entraram fortes e conseguiram ditar as diferenças no marcador. Gonçalo Alves devolveu a vantagem e ainda, de livre direto, ampliou o resultado para 3-1.

Anúncio Publicitário

Logo de seguida, numa jogada de insistência, Di Benedetto fez o quarto golo para a equipa da casa. O Benfica não aproveitou dois livres diretos que dispôs e o melhor que conseguiu foi reduzir por Diogo Rafael.

Vitória justa do FC Porto, em especial pela segunda parte. Já o Benfica tem de melhorar muito para lutar pelo título, no playoff.

A FIGURA

Xavi Malián – O guarda-redes esteve bastante seguro na partida, sendo fundamental para segurar o triunfo. Conseguiu defender dois livres diretos, sem contar com outras defesas em lance corrido.

O FORA DE JOGO

Ataque do SL Benfica – Não esteve em tarde inspirada, o ataque encarnado. Os mais adiantados, Nicolia e Ordoñez, não conseguiram ultrapassar a barreira portista e foi uma das principais razões para o Benfica não sair do Dragão Arena com pontos.

 

 ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

Com um ataque que rodava pelos quatro jogadores em campo, o FC Porto tentou apostar no controlo da posse de bola para chegar ao golo. Com um jogo assente na troca incessante de passes entre jogadores, conseguiram ferir o adversário através de várias combinações.

 

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Xavi Málian (8)

Xavi Barroso (6)

Reinaldo Garcia (6)

Gonçalo Alves (8)

Rafa (7)

SUPLENTES UTILIZADOS

Tiago Rodrigues (-)

 Mena (7)

Giulio Cocco (7)

Poka (7)

Di Benedetto (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O Benfica conseguiu através de uma gestão de posse, criar desequilíbrios na defesa leonina. No entanto, a defesa ficou muitas vezes expostas aos contra-ataques do FC Porto. Valter Neves e Diogo Rafael tentaram fazer a ligação entre a defesa e o ataque.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Henriques (7)

Valter Neves (6)

 Diogo Rafael (6)

Miguel Vieira (6)

Ordoñez (6)

SUBS UTILIZADOS

Marco Barros (-)

Edu Lamas (6)

Nicolia (6)

Aragonèz (6)

Gonçalo Pinto (6)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome