Dragões e águias encontravam-se para o grande jogo da sétima jornada do campeonato nacional. Os encarnados entraram para esta jornada na liderança e queriam dar seguimento à boa época que têm vindo a realizar. Por sua vez, o FC Porto estava obrigado a vencer caso quisesse continuar na luta pela revalidação do seu título. Estavam então reunidos todos os ingredientes necessários para um grande jogo de hóquei em patins.

EFICÁCIA ENCARNADA DITOU LIDERANÇA INICIAL

Os encarnados entraram melhor na partida e nem três minutos estavam decorridos quando Nicolia colocava o SL Benfica na frente do marcador. Nota para o excelente passe de Diogo Rafael. Apesar do golo, o FC Porto ia criando algumas ocasiões de golo, mas esbarrava num enorme Pedro Henriques.

Apesar dessas tais ocasiões, foi o SL Benfica que voltou a marcar do Dragão Caixa. Após perda de bola de Gonçalo Alves, Ordonez foi pela pista fora, tabelou com Nicolia e, na cara de Xavi Malián, não facilitou. Os encarnados conseguiam assim uma importante vantagem de dois golos. Os comandados de Alejandro Dominguez demonstravam uma eficácia tremenda.

Anúncio Publicitário

Naturalmente, o FC Porto reagiu e, após uma tremenda recuperação de bola de Gonçalo Alves, o próprio conduziu e assinou um golaço. Foi, literalmente, à lei da bomba. Uma obra de arte do internacional português. Até ao intervalo, os dragões ainda desperdiçaram um livre direto. Carlo Di Benedetto parece ainda estar a adaptar-se ao campeonato nacional. O jogo chegou assim ao intervalo com vantagem de 2-1 para o lado do SL Benfica.

FC PORTO PERDULÁRIO CONTRASTOU COM UM ORDONEZ INSPIRADO

Logo no começo da segunda parte, os dragões dispuseram de mais uma situação de powerplay, após lance disparatado de Gonçalo Pinto. Em mais um livre direto, Pedro Henriques voltou a estar em grande plano e impediu Gonçalo Alves de empatar o encontro. Ainda com um homem a menos, Nicolia conquistou a décima falta e colocou Ordonez frente a Xavi Malián. O argentino não tremeu e dilatou a vantagem encarnada.

Em jogo de parada e resposta, o FC Porto não se fez rogado e poucos segundos depois voltou a reduzir a desvantagem por intermédio de Reinaldo Ventura. Assistíamos neste momento a um autêntico espetáculo. Após um começo de loucos, a partida acalmou um pouco e a emoção estava reservada para os minutos finais.

Já dentro dos últimos dez minutos, o SL Benfica dispôs de mais um livre direto. Desta feita, Nicolia não foi capaz de bater Malián. Costuma-se dizer que quem não marca, sofre. E assim foi. Pouco tempo depois, Rafa rodou dentro da área encarnada e disparou para o fundo das redes.

Numa transição ofensiva bastante rápida, Nicolia isolou Edu Lamas, que foi carregado por Reinaldo Garcia. O argentino viu o cartão azul e colocou Nicolia frente a Xavi Malián. Todavia, o guarda redes espanhol voltou a defender e mantinha o FC Porto no encontro. Com um homem a mais, os encarnados não foram capazes de aproveitar essa situação e o jogo entrava para os últimos dois minutos com uma igualdade a três.

Os encarnados haveriam de cometer a décima quinta falta e, desta feita, Gonçalo Alves não perdoou e ditou o resultado final de 4-3. Pelo caminho, Tiago Rodrigues, guarda redes do FC Porto, defendeu mais uma grande penalidade e foi decisivo para a vitória dos dragões.

Este resultado coloca o campeonato português ao rubro. A UD Oliveirense partilha a liderança com o Óquei Clube Barcelos, com 18 pontos. No terceiro e quarto lugar, seguem o SL Benfica e o Sporting CP, com 16 pontos. Um pouco mais longe, está o FC Porto e também o Riba de Ave, com 13 pontos. É, sem dúvida, o melhor campeonato do mundo.

CINCOS INICIAIS

FC Porto- Xavi Malián (GR), Carlo Di Benedetto, Gonçalo Alves, Rafa, Sergi Miras

SL Benfica- Pedro Henriques (GR), Valter Nunes, Diogo Rafael, Carlos Nicolia e Lucas Ordonez