logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

FC Porto Hóquei em Patins

FC Porto 5-0 SL Benfica: Dragões controlaram o jogo

modalidades cabeçalho

A CRÓNICA: PORTISTAS CONSISTENTES NA GESTÃO DE JOG

A Final do Campeonato de Hóquei em Patins opõe frente a frente o FC Porto e o Benfica, em perspetiva um grande jogo. Os dragões eliminaram o OC Barcelos com três vitórias em três jogos e as Águias mais desgastadas tiveram de jogar a negra frente ao Sporting CP para alcançar a final.

No Dragão Arena, os portistas chegaram à vantagem logo, aos dois minutos, por Carlo Di Benedetto que recebeu o passe de Gonçalo Alves, na sequência de uma transição rápida. O FC Porto era mais agressivo na disputa dos lances e conseguia criar mais perigo à baliza de Pedro Henriques do que o SL Benfica à de Xavi Malián. À medida que os minutos passavam, os visitantes apostavam mais no contra-ataque enquanto o adversário se mantinha fiel ao ataque apoiado.

Aos 12 minutos, Nicolía cometeu falta sobre Mena na área encarnada e recebeu cartão azul. Na grande penalidade, Pedro Henriques susteve o remate de Gonçalo Alves e os encarnados ficaram com menos um jogador durante dois minutos.

Em vantagem numérica e com o guarda-redes titular do Benfica a ser assistido, o FC Porto alargou a vantagem e fez o 2-0 com um remate de meia distância de Gonçalo Alves. Os portistas estavam embalados e, um minuto depois, dilataram a vantagem no marcador. Aos 14 minutos, Telmo Pinto, atrás da baliza visitante, fez o passe para Di Benedetto que ultrapassou Poka e atirou para o fundo das redes (3-0).

Uma moldura humana que caraterizou este jogo um da Final do Campeonato de Hóquei

A equipa da casa acabou por gerir o seu esforço e desacelerou o ritmo do jogo. Ainda antes do intervalo, Gonçalo Alves rodou na linha direita da área do SL Benfica e perante dois adversários, conseguiu colocar a bola no poste do lado contrário. Solto de marcação, Xavi Barroso fez o quarto golo do FC Porto na recarga. Já o SL Benfica ainda teve uma oportunidade de livre direto pela décima falta da equipa da casa, mas Nicolía não conseguiu bater Malián.

A segunda parte iniciou-se novamente com uma entrada forte dos dragões. Aos dois minutos, Mena picou a bola sobre os defesas encarnados e a bola chegou a Rafa que isolado fez a mão cheia de golos para a equipa da casa.

O FC Porto manteve a gerir o jogo em posse de bola, mas ia criando oportunidades tal como o SL Benfica que estava mais ativo no ataque. Contudo, os guarda-redes mantiveram as balizas invioladas o resto do tempo do jogo. Destaque também para a ineficácia nos livres diretos das duas equipas.

 

A FIGURA

Gonçalo Alves continua a ser figura preponderante nos dragões
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Gonçalo Alves – O goleador do FC Porto foi importante na vitória. Fez os três primeiros tentos da equipa e mostrou-se persistência, mesmo quando as coisas não lhe correram bem. Nota ainda para Xavi Malián, também decisivo com várias intervenções, algumas das quais de dificuldade elevada.

O FORA DE JOGO

Fonte: Pedro Reis / Bola na Rede

Poka – O jogador do SL Benfica voltou ao Dragão Arena e não foi feliz. Em três golos do FC Porto, o internacional português revelou alguma apatia e passividade, não conseguindo suster o ímpeto portista. O segundo golo dos dragões foi o maior exemplo. Foi completamente ultrapassado por Gonçalo Alves que conseguiu ficar em boa posição para o golo. No ataque, tentou de longe mas foi ineficaz tal como o resto da equipa.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

Ricardo Ares tentou ser agressivo na disputa da bola e correu riscos porque a equipa tinha já seis faltas cometidas nos primeiros oito minutos da partida. Com a vantagem cedo no marcador e com a equipa a jogar em ataque apoiado, o FC Porto conseguiu criar muitos desequilíbrios na partida. A partir do 3-0, os dragões geriram o seu ritmo.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Xavi Malián (8)

Xavi Barroso (7)

Rafa (7)

Gonçalo Alves ()

Carlo Di Benedetto ()

SUBS UTILIZADOS

Tiago Rodrigues (6)

Carlos Ramos (-)

Reinaldo Garcia (6)

Ezequiel Mena (7)

Telmo Pinto (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Nuno Resende viu a equipa sofrer um golo logo no início da partida. Os encarnados sentiram alguma dificuldade em criar perigo à baliza de Xavi Malián, preferindo muitas vezes as jogadas individuais ao ataque apoiado, quando recuperavam a bola na defesa. Na segunda parte, a equipa apareceu mais solta ofensivamente e com mais ideias nos momentos ofensivos, mas não foi suficiente.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Henriques (7)

Edu Lamas (5)

Lucas Ordoñez (5)

Pol Manrubia (5)

Gonçalo Pinto (6)

SUBS UTILIZADOS

Rodrigo Vieira (-)

Diogo Rafael (5)

Poka (5)

Carlos Nicolía (5)

Zé Miranda (-)

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

FC PORTO vs CD TONDELA