A CRÓNICA: EQUILÍBRIO DO JOGO BEM PATENTE NO RESULTADO

Duelo entre um dos líderes do campeonato, o OC Barcelos, e o último campeão nacional, o FC Porto. Os dragões vinham de uma pausa forçada de 15 dias, depois do jogo com o HC Braga ter sido adiado. Já o OC Barcelos tinha deixado escapar os primeiros pontos frente à AD Valongo.

Os primeiros minutos foram muito equilibrados, com oportunidades para cada um dos lados. Aos dez minutos, o primeiro golo acabou por ser para os visitantes, que chegaram à vantagem, num lance individual de Rafa. O Óquei de Barcelos partiu com uma postura mais dominadora e teve quatro oportunidades de livre direto para empatar. Contudo, Xavi Malián adiou a igualdade, que haveria de chegar à beira do intervalo, por Miguel Rocha.

Fonte: OC Barcelos

Já a etapa complementar foi ainda mais animada. Gimenez, de livre direto, colocou o OC Barcelos pela primeira vez em vantagem. No entanto, meio minuto depois, Gonçalo Alves, fazendo um sprint de área a área, restabeleceu a igualdade. O jogo estava a um ritmo alucinante e no minuto a seguir nova reviravolta. Reinaldo Garcia colocou os dragões novamente em vantagem. O equilíbrio acabaria por voltar ao resultado, com Miguel Rocha a bisar na partida, na sequência de um lance caricato com vários ressaltos.

As equipas abrandaram e o marcador estabilizou até quatro minutos do fim. Gonçalo Alves assistiu o reforço Mena para colocar os visitantes novamente em vantagem. No entanto, Rafael Lourenço manteve o equilíbrio no resultado ao desviar um remate de Reinaldo Ventura, marcando para os da casa.

Anúncio Publicitário

Resultado justo, mas que acaba por não servir a nenhuma das equipas. O OC Barcelos fica a dois pontos do Sporting e do Valongo e, assim, da liderança. Já o FC Porto atrasa-se ainda mais em relação ao duo da frente. Agora, os dragões estão a seis pontos, com um jogo a menos.

 

A FIGURA

Xavi Malián – O guarda-redes foi muito importante, especialmente na primeira parte. O internacional espanhol defendeu os vários livres diretos que a equipa da casa teve e, que podiam ter levado a um resultado confortável.

O FORA DE JOGO

Guillem Cabestany – Mais do que a um jogador, neste jogo, a nomeação de fora de jogo acaba por assentar melhor ao treinador do FC Porto. A opção de alinhar apenas com nove jogadores, cinco titulares e só quatro soluções no banco, prejudicou a equipa, até pela estratégia de circulação da bola que os dragões assumiram na partida. Há jogadores talentosos na equipa B e na formação que mereceriam a oportunidade.

 

ANÁLISE TÁTICA – OC Barcelos

A equipa da casa entrou expectante, deixando o FC Porto ter mais tempo de posse de bola, mas sempre exercendo pressão alta. No entanto, à medida que os minutos passavam, o Barcelos foi equilibrando e depois do golo dos dragões, passou a tomar conta das rédeas do jogo. Para desequilibrar no 1×1, a formação contava com Reinaldo Ventura e com a aposta nos remates de longa distância.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Conti (7)

Reinaldo Ventura (7)

 Miguel Vieira (8)

Zé Pedro (6)

Joca (6)

SUBS UTILIZADOS

Bruno Ferreira (6)

Tomás Pereira (7)

Luís Querido (6)

Giménez (7)

Rafael Lourenço (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC Porto

A equipa de Guillem Cabestany vinha limitada com a ausência de Poka e só se apresentou com nove jogadores ao todo. Com um ataque que rodava pelos quatro jogadores em campo, o FC Porto tentou apostar no controlo da posse de bola para chegar ao golo. Quando chegaram ao golo, os visitantes tentaram manter a estratégia, mas acabou por a não conseguirem manter.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Xavi Málian (8)

Xavi Barroso (6)

Reinaldo Garcia (7)

Giulio Cocco (6)

Rafa (7)

SUPLENTES UTILIZADOS

Tiago Rodrigues (-)

 Mena (7)

Gonçalo Alves (7)

Poka (-)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome