A CRÓNICA: UD OLIVEIRENSE FOI LETAL NAS BOLAS PARADAS

A UD Oliveirense venceu, em casa no Pavilhão Dr. Salvador Machado, frente ao SL Benfica, numa reviravolta feita na segunda parte.

O Benfica entrou praticamente em vantagem. No segundo minuto de jogo, Diogo Rafael fez o primeiro, numa jogada rápida do ataque encarnado.

Anúncio Publicitário

Surpreendente, os visitantes apenas terem conseguido marcar dois golos, num quarto de hora de domínio absoluto. No entanto, a equipa da casa tornava-se mais perigosa à medida que os minutos passavam e conseguiu chegar ao empate antes do intervalo, através de duas grandes penalidades cobrada por Nuno Araújo.

O segundo tempo iniciou com os encarnados novamente com o pé no acelerador. Desta vez de penalti, Diogo Rafael fez o 2-3, ao segundo minuto da etapa complementar.

A equipa da casa acordou logo a seguir, equilibrou o jogo e foi bem mais eficaz do que o adversário. Numa jogada individual e de belo recorte artístico, Martinez empatou a partida. O mesmo jogador aproveitou um livre direto e pôs a Oliveirense em vantagem pela primeira vez na partida.

Os visitantes estavam cada vez mais desorientados com as arrancadas rápidas da equipa de Oliveira de Azeméis e não foi surpreendente que novamente de livre direto Martinez fizesse o 5-3.

O melhor que o Benfica conseguiu foi reduzir para a margem mínima e esteve perto de sofrer o sexto golo a segundos do fim, de livre direto.

 

A FIGURA

Lucas Martínez – O argentino destacou-se, na segunda parte, e foi decisivo na vitória da Oliveirense com um hat trick. Não se deixou atemorizar frente a Pedro Henriques nos livres diretos, mas melhor foi o seu primeiro golo ao acelerar e serpentear perante os defesas encarnados e finalizar com classe.

O FORA DE JOGO

Agressividade dos encarnados – Oito faltas na primeira parte e três cartões azuis na partida dificultaram a tarefa ao Benfica. Não surpreende, por isso, que quatro dos cinco golos tenham sido sofridos de bola parada e destruíram a boa primeira parte e a entrada forte no segundo tempo da equipa.

 

ANÁLISE TÁTICA – UD OLIVEIRENSE

Paulo Pereira tentou que a sua equipa explorasse as transições rápidas para explorar o espaço na defensiva encarnada. A equipa não conseguiu criar perigo nos primeiros 15 minutos da primeira parte, limitando-se a reduzir os espaços junto à baliza de Diogo Fernandes.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Diogo Fernandes (8)

Xavier Cardoso (6)

Jorge Silva (6)

Marc Torra (6)

Nuno Araújo (8)

SUBS UTILIZADOS

Diogo Alves (-)

Lucas Martinez (9)

Franco Platero (7)

Ferrucio (8)

 Xanoca (6)

 

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

No regresso a Oliveira de Azeméis, Nuno Resende conseguiu que os jogadores benfiquistas entrassem a pressionar alto. A dinâmica ofensiva foi impressionante nos primeiros minutos, mas veio a desvanecer-se ao longo da primeira parte.

A agressividade (oito faltas cometidas só na primeira parte!) acabou por ter um lado negativo, ao conceder bolas paradas à Oliveirense. Quatro dos cinco golos sofridos foram precisamente dessa forma.

No segundo tempo, os visitantes voltaram a repetir a receita com uma entrada dominadora.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Henriques (7)

Diogo Rafael (7)

Nicolía (7)

Pablo Albarez (6)

Sergi Aragonès (6)

SUBS UTILIZADOS

Rodrigo Vieira (-)

Poka (6)

Pol Manrubia (6)

Ordoñez (7)

Gonçalo Pinto (6)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome