Cabeçalho modalidadesNeste domingo realizou-se mais um jogo do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins entre o FC Porto e o Valença HC, num jogo antecipado da 5ª jornada.

O Porto entrou a matar e, logo aos trinta e cinco segundos, Gonçalo Alves arranjou espaço e com uma potente seticada fez o 1-0. A pressão era muita e o Valença nada conseguia fazer a não ser defender, tendo como principal referencia o jovem guarda-redes Rodolfo Sobral, pois era ele quem ia evitando o rápido avolumar do resultado.

A equipa da casa ia insistindo, mas não conseguia marcar. Por sua vez, depois da forte entrada do Porto que o limitou a defender, o Valença ia conseguindo sair em rápidos contra-ataques e, por algumas vezes, ainda importunou Carles Grau que respondeu sempre bem.

Os minutos iam passando e o ímpeto portista também, logo o Valença ia conseguindo ter períodos de posse de bola mais longos, embora sem causar grande mossa á defensiva azul e branca.

O Valença defendia na área do garrafão do basquetebol, o que criava várias dificuldades a um Porto impaciente, que começou a optar pela meia distancia para procurar novo golo. No entanto, depois de tantas oportunidades o 2-0 finalmente chegou. Má saída para o ataque do Valença, com a bola a ser recuperada por Hélder Nunes que, sem dó nem piedade, disparou um míssil para o fundo da baliza do Valença fazendo o 2-0. Pouco depois, jogada individual de Rafa que, atrás da baliza, assiste Vítor Hugo no interior da área para o 3-0.

Com o total controlo do jogo, o Porto ia circulando a bola e movimentando os seus atletas de modo a conseguir entrar na defesa do Valença, mas o inspirado Rafael Sobral evitava males maiores para a sua equipa e fez com que o conjunto portista fosse a vencer por apenas 3-0 para o intervalo.

Na segunda parte, o Valença apareceu ainda mais recolhido na área de garrafão do basquetebol, mantendo o Porto em grandes dificuldades para alvejar, com qualidade, a baliza do recém-entrado Paulo Matos que, tal como o seu colega fizera na primeira parte brilhou, evitando vários golos dos azuis e brancos. Contudo, as ocasiões eram tantas que a bola voltou a entrar na baliza do Valença aos trinta e dois minutos de jogo. Contra-ataque de três para dois do Porto que, após muita cerimónia, Jorge Silva concluiu. Estava feito o 4-0.

Alguns minutos após o 4-0, Luís Viana vê um azul em virtude de uma falta sobre Gonçalo Alves. O próprio encarregou-se da marcação do livre-direto, mas acabou por falhar. Porém, a vantagem numérica em pista acabou por resultar no quinto golo do Porto. Passe açucarado de Baliu, que Hélder Nunes aproveitou para concretizar.

Gonçalo Alves disputa a bola na tabela de fundo com Hélder Martins Fonte: FC Porto
Gonçalo Alves disputa a bola na tabela de fundo com Hélder Martins
Fonte: FC Porto

A doze minutos do final do jogo, o Porto vencia por escassos 5-0, pois o seu volume ofensivo era demasiado para números tão baixos. Para além dos guarda-redes do Valença, outro fator importante para este resultado foi a pontaria a mais que os atletas portista tiveram nesta tarde , isto, porque o número de bolas nos postes e na barra era tal, que foi impossível de se contar.

Até ao términus do encontro, o conjunto orientado por Guillem Cabestany manteve sempre um ritmo alto, em busca de mais um golo e acabou por consegui-lo. A seis minutos do final e depois de uma bela movimentação coletiva, Telmo Pinto, de zona central, enrolou a bola para o sexto golo portista, fixando o resultado final em 6-0.

Vitória incontestável do Porto por seis bolas a zero, que peca apenas pela fraca capacidade de finalização apresentada. Todavia, não podemos também esquecer as bolas exibições realizadas por Rafael Sobral e Paulo Matos, na primeira e segunda parte respetivamente.

No próximo fim de semana, o campeonato está de volta e o Porto irá receber o Turquel no Dragão Caixa. O Valença desloca-se á capital para defrontar o Paço de Arcos.

Comentários