Dois anos depois da derrota na final, a seleção Portuguesa regressa a Montreux para recuperar o cetro perdido no derradeiro jogo da edição de 2017 frente à Argentina. O que colocou um travão à série de quatro vitórias consecutivas entre os anos de 2009 e 2015.

Ao início da tarde de quarta-feira teve início a 68ª edição do Torneio de Montreux, também conhecido por Taça das Nações. 

A prova arrancou com uma partida bastante interessante, referente ao grupo A, que colocou frente a frente as seleções de Espanha e Angola. A La Roja, comandada pelo argentino Alejandro Domínguez, apresentou-se na Suíça com uma equipa repleta de jovens promessas, mas da qual poucos ou nenhum deverá fazer parte dos dez que participarão nos Roller Games no próximo mês de julho. O conjunto africano, por seu lado, com muitos dos seus melhores jogadores até começou a perder, tendo estado com uma desvantagem de 3-1. Todavia, ainda antes da pausa, Angola conseguiu chegar ao empate por intermédio do experiente Martín Payero. Na segunda metade, espanhóis e angolanos proporcionaram um encontro bastante equilibrado, mas a cerca de dez minutos do fim, Payero concluiu o seu hacttrick através da conversão de um livre-direto. Apontando um golo que se veio a revelar decisivo e histórico, pois, garantiu o triunfo de Angola por 4-3. Após alguns jogos muito apertados nos últimos anos, a seleção africana alcançou, finalmente, a sua primeira vitória de sempre diante da Espanha. 

O segundo e terceiro encontros da ronda inicial do Torneio de Montreux não tiveram grande história. Na partida inaugural do grupo B, a Argentina, a campeã em título da prova, não deu qualquer hipótese ao jovem conjunto transalpino orientado por Massimo Mariotti, tendo goleado por 6-2. Uma boa demonstração de força da seleção albiceleste que, a par de Portugal, levou a solo suíço grande parte dos seus pesos pesados e é dos principais candidatos a vencer a competição. Continuando no grupo B, a França não teve qualquer dificuldade em vencer a equipa da casa, o Montreux Hockey Club, goleando a frágil formação suíça por claros 8-1. 

No jogo que encerrou o dia 1 da 68ª edição da Taça das Nações, Portugal realizou uma primeira parte a muito bom nível, demonstrando boas dinâmicas ofensivas e defensivas, tendo chegado ao intervalo a vencer a Suíça por 4-0. Nos segundos vinte e cinco minutos, apesar de ter conseguido marcar por duas ocasiões, com dois tentos suíços pelo meio a colocar o marcador em 6-2, a seleção portuguesa baixou os seus níveis exibicionais e deu algum alento ao conjunto vermelho e branco. Desta forma, suportada pelas boas exibições dos jovens irmãos Gian e Raphael Rettenmund e do também jovem guardião Tiziano Tatti, a Suíça cresceu e conseguiu reduzir a diferença para 6-4. Portugal tentou reagir, mas acabou por seu “auxiliado” com dois penaltis a seis e cinco minutos do fim, que Gonçalo Alves concretizou, colocando o marcador em 8-4. Já dentro dos últimos sessenta segundos, João Rodrigues fixou o score final em 9-4. 

Gonçalo Alves foi dos melhores da seleção portuguesa no encontro contra a Suíça
Fonte: Coupe des Nations

A ronda dois da competição teve início com mais um encontro interessante, desta feita do grupo B, mas que terminou com um resultado bem difícil de antecipar. Num duelo entre italianos e franceses, os jovens transalpinos apareceram de cara lavada e não deram qualquer hipótese à igualmente jovem França. Que ao ter sido goleada por 9-2, desperdiçou a oportunidade de selar a qualificação para as meias-finais. Por outro lado, com esta vitória, Itália reentra na luta do apuramento. A seleção gaulesa, se quiser passar, terá que vencer a Argentina. 

Após uma entrada em falso no Torneio de Montreux, a Espanha regressou à pista do Salle Omnisports transfigurada para melhor. Com um ritmo muito elevado, pressão alta e aproveitando o desgaste que a Suíça havia tido na véspera no encontro contra Portugal, a La Roja chegou ao intervalo a vencer por 4-0. O segundo tempo não trouxe nada de novo, com a Espanha a manter a intensidade e a aumentar a diferença até aos 9-0. A partir desse score, a seleção espanhola retirou o pé do acelerador, mas até ao final ainda conseguiu marcar mais dois golos, com a Suíça a fazer o seu tento de honra pelo meio. Três pontos que colocam a atual campeã mundial e da europa nas contas da qualificação do grupo A.

No principal jogo da segunda jornada da prova, Portugal e Angola protagonizaram um encontro bastante equilibrado, mas a seleção orientada por Renato Garrido acabou por levar a melhor, vencendo por 4-2. A equipa das quinas teve sempre o controlo do jogo e apesar de nem sempre conseguir alcançar a baliza angolana com qualidade, foi muito pragmática e eficaz. Girão voltou a ser importante, pois, impediu uma enorme recuperação de Angola de 0-3 para 3-3 e momentos depois, Hélder Nunes concretizou um livre-direto referente à 10ª falta do conjunto africano, colocando um ponto final no ímpeto angolano. Assim como assegurou mais três pontos para a seleção portuguesa. Mesmo com duas vitórias em dois jogos, Portugal ainda não tem a qualificação garantida. Para tal, se Angola vencer, terá de ganhar ou não perder com Espanha. Se Angola perder, a equipa lusitana está automaticamente qualificada para a fase seguinte. Os golos serão um elemento importante. 

A partida que fechou o dia 2 do torneio não foi tão interessante como o de 2017, onde Montreux deu um ar da sua graça, com a Argentina a vencer a equipa da casa por 5-1. Vitória que deixa a formação albiceleste quase nas meias-finais, numa situação parecida com a de Portugal. 

O calendário da terceira jornada da fase de grupos do Torneio de Montreux é o seguinte:

  • 14h00-Suíça vs Angola
  • 16h00-Itália vs Montreux HC
  • 18h00-Argentina vs França
  • 20h00-Portugal vs Espanha

Todos os jogos da competição podem ser vistos através do seu canal de Youtube.

Foto de Capa: Coupe des Nations

Comentários