cab hoquei

Há textos que me dão gozo escrever, e este é um deles. Quando muitos pensavam ser complicado, quase impossível, os portugueses mostraram a sua raça.

Porto e Benfica iam para a segunda mão da Liga Europeia numa situação complicada. Os campeões europeus tinham perdido em Reus por 5-2, enquanto o FC Porto foi derrotado em casa por 2-1, frente ao Liceo da Corunha. Por isso, pedia-se uma daquelas noites que ficassem na memória.

Na Luz, o Benfica cedo pressionou e cedo marcou. João Rodrigues deu o mote à equipa encarnada, que ainda assim viu o Reus empatar no lance seguinte. Mas João Rodrigues voltou a marcar e a dar confiança à sua equipa, que fez uma segunda parte fantástica. Tuco fez sonhar o Benfica, e Carlos Lopez fez com que o pavilhão fosse abaixo, ao marcar, já nos minutos finais, o golo que empataria a eliminatória. No prolongamento, o Benfica voltaria a ser feliz com o golo de ouro. Se esta regra já tinha dado uma Liga Europeia ao Benfica, deta vez colocou a equipa na final-four. Valter Neves foi o autor deste importantíssimo golo, que qualificou o Benfica. Uma vitória justa para um Benfica que sempre acreditou era possível eliminar o Reus. O clube espanhol é conhecido pelas poucas, ou nenhumas, condições que oferece aos seus adversários e aos jornalistas no seu pavilhão, e por isso esta vitória é ainda mais agradável.

Valter Neves colocou o Benfica na final four Fonte: David Rodrigues / SL Benfica
Valter Neves colocou o Benfica na final four
Fonte: David Rodrigues / SL Benfica

Na segunda parte deste duelo ibérico, o Porto foi à Corunha mostrar a raça do Dragão. Carregados por Hélder Nunes e Edo Bosch, o Porto fez uma grande exibição, estando a ganhar por 4-1. Hélder Nunes fez um hat-trick, e o guarda-redes Edo Bosch realizou um punhado de defesas que mantiveram os azuis e brancos na luta. Ainda assim, o Liceo reduziu para 4-3 e levou o jogo para prolongamento e para penaltis. Seria nas grandes penalidades que o Porto voltaria a ser feliz. Edo Bosch voltaria a ser a grande figura, ao fazer quatro defesas, e o Porto, ao marcar dois penaltis, seguia para a final four. Uma lição de raça e de acreditar por parte dos dragões. De destacar, pela negativa, os incidentes que ocorreram com os adeptos do Porto, que foram alvo de pedradas por parte dos adeptos espanhóis.

Anúncio Publicitário
Hélder Nunes foi decisivo nesta vitória Fonte: Fcporto.pt
Hélder Nunes foi decisivo nesta vitória
Fonte: Fcporto.pt

Uma palavra também para o Valongo, que perdeu por 7-1 frente ao Barcelona e foi eliminado. Não é esta goleada que apaga a boa prova dos homens do norte neste regresso aos palcos europeus. Frente à melhor equipa do mundo, o Valongo lutou como pôde, principalmente no jogo em casa, onde perdeu pela margem mínima (3-2), tendo sido um adversário difícil para os catalães.

Pelo segundo ano consecutivo, Portugal tem duas equipas na final four. O sonho é possível. Terminado este duelo ibérico com vitórias saborosas, por todas as condicionantes de que Benfica e Porto foram alvo, é tempo de preparar a segunda parte deste confronto com os nossos vizinhos. Na final four, Benfica defrontará o Barcelona, e o FC Porto jogará com o Vendrell.