O desporto faz-se de histórias. Umas mais previsíveis que outras, é certo, mas são as que ninguém espera que se perpetuam mais tempo na memória. Hoje, recordamos a época 2013/2014 da I Divisão de Hóquei em Patins, que foi com certeza uma das mais emocionantes da história da competição, e contou com um campeão inesperado aos olhos de muitos.

Na temporada transata, a AD Valongo terminava o campeonato em quarto lugar, mas com um plantel recheado de talento. Com mais algum investimento, a formação de um dos concelhos do Porto pensava atacar os lugares cimeiros. Nas suas fileiras, os valonguenses contavam com Ângelo Girão na baliza e os jovens Telmo Pinto, Henrique Magalhães e Rafa a despontar ao mais alto nível.

A história de Cinderela começou com 13 vitórias em outros tantos jogos, apenas parados pela UD Oliveirense à 14.ª jornada. Depois de uma boa sequência de resultados, alguns tropeções levaram ao aproximar dos ditos “tubarões”, o FC Porto e o SL Benfica, que começaram a tornar a tarefa um pouco mais complicada.

Em 2013/14, foi um ano de sonho para a AD Valongo, que contava no seu plantel com muitos jovens talentos
Fonte: AD Valongo

As últimas cinco jornadas foram de deixar o coração nas mãos aos adeptos das três equipas. Empatados na tabela classificativa, todos esperavam um resultado negativo para ficarem mais perto do título. Os primeiros foram os encarnados, que perderam frente aos dragões, deixando os clubes portuenses na linha da frente para o título.

Anúncio Publicitário

A um jogo de definir o campeão, um estrondo caiu na cidade de Valongo. Na deslocação ao pavilhão da Luz, os valonguenses saíram com uma derrota por 12 bolas a zero. De repente, o título parecia encaminhado para o FC Porto, que partia para o derradeiro encontro com três pontos de avanço para o segundo e o terceiro classificado.

O Pavilhão Municipal de Valongo encheu-se com a esperança de uma cidade em conquistar o primeiro grande título do clube. Só a vitória servia para tornar o sonho uma realidade, e tudo correu de feição para os pupilos de Paulo Pereira. O triunfo por 5-3 frente aos dragões colocou a cidade portuense em ebulição.

É, sem dúvida, uma das páginas mais bonitas do hóquei em patins português. Escrito com os patins e sticks, os valonguenses ficaram para sempre ligados a um feito que os amantes da modalidade não vão esquecer tão cedo.

Foto de capa: AD Valongo

Artigo revisto por Diogo Teixeira