A CRÓNICA: A VITÓRIA DA GESTÃO E DO DESIQUILÍBRIO

As duas equipas candidatas ao título vinham ambas de vitórias na primeira ronda do campeonato. O Sporting venceu fora a equipa do HC Tigres por 4-3, já a Oliveirense tinha derrotado em casa a Juventude de Viana por 7-4.

A Oliveirense começou mais atrevida na partida. Martinez logo no segundo minuto de jogo levou a bola ao poste esquerdo da baliza de Ângelo Girão. No entanto, o Sporting acabaria por equilibrar a partida e acabaria por beneficiar de um penalti ganho por Ferran Font ao tentar ultrapassar Jordi Bargallo que o derrubou com o stick dentro da área. Aos 7 minutos de jogo, Gonçalo Nunes acabou por permitir a defesa de Xavi Puigbi, mas deixou o aviso para o que viria a seguir.

Pedro Gil viria ainda a acertar no poste da baliza dos visitantes, até que Romero que recebeu a bola de Gil irrompeu pelo lado direito do ataque até à área, sem Torra o conseguir parar e desse modo, rematou cruzado para o primeiro golo do jogo, a meio do primeiro tempo.

A Oliveirense tentou assumir o jogo com uma postura mais ofensiva, mas acabou por não criar grande perigo até ao intervalo. Aliás, foi o Sporting a estar mais perto de dilatar a vantagem num contra-ataque finalizado com o remate de Platero que o guarda-redes visitante acabou por defender.

Anúncio Publicitário

A segunda parte praticamente começou com o Sporting a ficar a jogar com menos um com o cartão azul admoestado a Pedro Gil por parar com o stick Henrique Magalhães quando este ia lançado para a área leonina. Torra permitiu a defesa de Girão no livre direto e acabou por não aproveitar a oportunidade para empatar aos 4 minutos. Praticamente no minuto a seguir nova oportunidade através de uma grande penalidade por infração de Romero dentro da área leonina. Desta vez, foi Martinez a cobrar e o argentino não falhou perante Zé Diogo na baliza dos anfitriões e empatou a partida aos 6 minutos.

A igualdade numérica voltou, mas a Oliveirense continuou a estar mais perto da baliza leonina. No entanto, a oportunidade haveria de chegar na sua baliza com o penalti cometido por Jorge Silva sobre Romero. Toni Perez ficou como cobrador, mas Puigbi defendeu o remate. Quando faltava 13 minutos para o final da partida, uma bela combinação entre Font, Platero e Perez que finalizou perto do poste direito da baliza da Oliveirense, perante os defesas que ficaram a ver jogar.

O Sporting acabou por gerir bem os minutos e até aproveitou a Oliveirense ter chegado à nona falta e a ficar a uma de sofrer um livre direto para relaxar e levar o jogo para longe da baliza de Girão. A equipa da casa ainda viu um golo anulado por Verona elevar demais o stick no remate para dentro da baliza da Oliveirense.

Vitória justa para a equipa mais desequilibrada e melhor gestora dos tempos do jogo.

 

A FIGURA

Pedro Gil – O experiente jogador do Sporting ajudou a desequilibrar com os seus passes para o lado, sendo importante para criar o desequilíbrio que deu o primeiro golo dos leões. Deu tranquilidade quando a equipa precisava de manter a posse para defender o resultado.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: UD Oliveirense

Defesa da UD Oliveirense – A defesa da equipa visitante facilmente partia-se no 1×1 com os jogadores do Sporting ou com os desequilíbrios criados pelos passes para trás do jogador mais adiantado do ataque leonino. Faltou maior pressão sobre os sportinguistas que tinham tempo para decidir. Viu-se isso nos dois golos leoninos, com Torra a não pressionar Romero no primeiro, e no segundo, Perez fez o que quis perante João Almeida e Vítor Hugo que se limitaram a ver o sportinguista fazer o 2-1.

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Os sportinguistas apresentaram um ataque dinâmico com a troca de bola a ser uma constante. O 1×1 foi usado durante boa parte do jogo por jogadores como Romero, Pedro Gil ou Toni Perez, abrindo brechas na defensiva adversária. Na defesa, a equipa leonina cumpriu, não dando espaço para a Oliveirense chegar à área perante as combinações usadas pelos adversários

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Girão (7)

Platero (7)

 Font (7)

Verona (7)

Souto (6)

SUBS UTILIZADOS

Pedro Gil (7)

Toni Perez (7)

Zé Diogo (-)

Romero  (7)

Gonçalo Nunes (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – OLIVEIRENSE

A marcação homem a homem na defesa foi fatal, com várias vezes os jogadores da Oliveirense a serem ultrapassados pelos adversários. No ataque, era Torra ou Bargallo a organizarem o jogo perante a defesa compacta do Sporting.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Puigbi (6)

João Almeida (6)

 Jorge Silva (6)

 Bargallo (6)

 Henrique Magalhães (6)

SUPLENTES UTILIZADOS

Torra (6)

Pedro Moreira (6)

Martinez (7)

Vitor Hugo (6)

Foto de capa: Sporting CP Modalidades