A CRÓNICA: GRANDES PENALIDADES DÃO BILHETE DA FINAL AO SL BENFICA

A vila do Luso é, durante este fim de semana, o epicentro do Hóquei em Patins nacional com a festa da Taça 1947. Este sábado, o encontro entre o SL Benfica e a UD Oliveirense abriu as hostilidades das meias-finais da Taça 1947. O jogo precisou de grandes penalidades para decidir o resultado, que terminaram com a vitória do SL Benfica.

O primeiro golo do jogo surgiu pouco depois do apito inicial. Aos dois minutos, Eduard Lamas explorou o remate de longe e foi feliz, inaugurando o marcador. Depois do golo, as duas equipas passaram por um deserto de ideias, com poucas chances de perigo. No entanto, nos últimos minutos da primeira parte, a equipa de Oliveira de Azeméis cresceu em termos qualitativos.

Resultado disso, foi o tento que deu o empate. A UD Oliveirense aproveitou um ataque trabalhado, onde esgotou os 45 segundos e Marc Torrá, na insistência, foi o autor do um igual. Até ao intervalo, ainda houve tempo para o SL Benfica voltar à frente do marcador. O capitão dos lisboetas, Valter Neves, fixou o placard dos primeiros 25 minutos em 2-1.

Anúncio Publicitário

Depois de o ambiente ter aquecido após um golo anulado à UD Oliveirense, o jogo arrefeceu no regresso dos balneários. Foram precisos 11 minutos para vermos novamente um golo. Valter Neves bisou no encontro e dilatou a vantagem encarnada. Depois de uma fase menos assertiva no encontro, a formação de Oliveira de Azeméis encurtou para 3-2 após um excelente golo de Jordi Bargalló.

Quando o resultado parecia fixado, a UD Oliveirense ainda tinha uma palavra a dizer. Após a conversão de um livre direto, Lucas Martínez empatou o jogo a três bolas e, portanto, era preciso jogar mais dez minutos de prolongamento para decidir quem era o primeiro finalista da Taça 1947.

Depois de dez minutos sem golos, as grandes penalidades decidiram o jogo. Pedro Henriques foi o herói e colocou o SL Benfica na final da competição. Agora, os encarnados esperam o vencedor do encontro entre o Sporting CP e o Tomar para saber quem vai ser o adversário na final.

A FIGURA

Valter Neves – O capitão do SL Benfica bisou no encontro e foi o primeiro marcador na lotaria das grandes penalidades. Aos 37 anos, o internacional português continua ao mais alto nível nas quadras nacionais.

O FORA DE JOGO

Desacerto da UD Oliveirense nas Grandes Penalidades – É ingrato ter de escolher um lado negativo neste belo encontro de Hóquei em Patins. A equipa de Oliveira de Azeméis até esteve na frente, mas duas grandes penalidades falhadas colocaram os encarnados na final da competição.

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Os encarnados começaram a ganhar e a dominar, mas, principalmente a meio da primeira parte, passaram por dificuldades. Na segunda parte, depois de estar sempre em vantagem, sofreu o empate com dois golos nos minutos finais.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Henriques (7)

Valter Neves (8)

Edu Lamas (6)

Miguel Vieira (6)

Lucas Ordoñez (5)

Sergi Aragonez (-)

Carlos Nicolia (6)

Diogo Rafael (6)

Danilo Rampulla (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – UD OLIVEIRENSE

A equipa de Paulo Pereira não entrou bem no encontro. Sofreu um golo cedo e demorou a encontrar a identidade no jogo. Com a entrada de Marc Torrá, a formação de Oliveira de Azeméis cresceu no encontro e criou boas oportunidades de golo. Na segunda parte, estiveram quase sempre em desvantagem, mas chegaram ao empate e obrigaram ao prolongamento.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Nélson Filipe (7)

Pedro Moreira (6)

Jorge Silva (6)

Jordi Bargalló (7)

Henrique Magalhães (6)

SUBS UTILIZADOS

Marc Torrá (8)

Lucas Martínez (7)

Vítor Pinto (-)

João Almeida (6)

Foto de capa: SL Benfica

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome