Anterior1 de 3Próximo

O título do artigo bem podia ser o nome do relatório da Human Rights Watch (HRW), mas a ONG que zela pelos direitos humanos foi mais longe e intitulou-o de “I Was Hit So Many Times I Can’t Count”. O nome advém de um dos muitos testemunhos de atletas ou jovens atletas japoneses (alguns já não tão jovens, atualmente) que foram abusados física ou psicologicamente pelos próprios treinadores. Muitos deles só agora conseguiram descrever os horrores que atravessaram ao longo de vários anos.

Em condições normais, estaríamos já com 13 dias de competição nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, mas já sabemos que estes foram adiados por um ano devido à pandemia de COVID-19. Por isso, a HRW decidiu “mostrar ao Mundo” que o país que irá acolher a olimpíada – e, consequentemente, a chama olímpica e os valores olímpicos – não se preocupa assim tanto com um problema enraizado na sua sociedade.

Através de um questionário on-line e de entrevistas presenciais, a HRW descobriu «425 atletas e antigos jovens atletas que reportaram experiências diretas de abuso físico enquanto praticavam Desporto». São números chocantes e os relatos que estão no relatório demonstram bem a gravidade do assunto. Num país como o Japão – considerado uma das potências mundiais não só a nível económico, mas de desenvolvimento humano – estes dados mancham a imagem que os nipónicos têm a nível mundial.

UM PROBLEMA ESTRUTURAL DO PERÍODO PÓS-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Anúncio Publicitário

Em muitas obras cinematográficas, os cidadãos japoneses são representados como tendo caraterísticas violentas no modo de educar. Até mesmo no Desporto, a educação e a formação dos atletas acaba por ser “infetada” por essa violência. Aliás, especialistas, segundo o relatório da HRW, concordam que os constantes casos de abuso físico no Desporto japonês não são recentes e estes casos estão intimamente ligados com o militarismo que esteve presente na educação no pós-Segunda Guerra Mundial.

Com o passar dos anos, e por ser algo tão radicado na sociedade japonesa, esta cultura de violência no Desporto foi sendo (e continua a ser) vista como “normal”, como muitos alunos universitários o descreveram num estudo de 2013.

«Um atleta disse, “Eu acho que [taibatsu] está bem desde que torne o atleta e/ou a equipa mais forte”» (Human Rights Watch, 2020)

Taibatsu é a palavra japonesa que designa uma punição corporal e foram muitos os atletas que experienciaram este tipo de punições durante os largos anos que praticavam uma modalidade no Japão. Alguns ganharam voz, através deste relatório, mas outros podem estar a sofrer em silêncio – algo que por si só já deveria ser assustador.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários