A época 2019/2020 ficará para sempre na história por inúmeras razões, algumas boas e outras que se calhar os responsáveis da liga gostavam de poder apagar das mentes dos milhões de adeptos que a acompanham.

Em primeiro lugar, o ano agora findado marcou o centésimo aniversário da fundação da National Footbal League. Um número “redondo”, que merecia uma celebração condizente, e pode-se dizer que foi o que aconteceu.

Esta época vimos o crescimento e afirmação das duas novas caras da NFL: Patrick Mahomes e Lamar Jackson. Se o primeiro foi o MVP do Super Bowl (e MVP da liga em 2018), o segundo foi eleito o jogador mais valioso do campeonato neste ano. Da primeira à última semana, os dois quarterbacks dominaram e, mais importante, deram espetáculo. Lamar tornou-se, sem grande contestação, o quarterback com o melhor jogo de corrida da história, enquanto que Mahomes mostrou que também ele pode ter, possivelmente, o melhor braço da história da liga.

Para além disso, este foi também o ano do fim do jejum dos Kansas City Chiefs, que, 50 anos depois da sua primeira conquista, voltaram a vencer o Super Bowl ao derrotarem os San Francisco 49ers. Com um ataque eletrizante e, a espaços, imparável, Andy Reid destruiu quaisquer dúvidas que houvesse em relação à sua capacidade enquanto head coach e ao seu lugar no Hall of Fame.

Cinquenta anos depois, os Kansas City Chiefs alcançaram a final do Super Bowl
Fonte: Kansas City Chiefs

Foi também um ano de transição. Andrew Luck e Eli Manning acabaram a carreira, Luke Kuechly tomou a mesma decisão, Tom Brady decidiu que vai testar a free agency, Phillip Rivers e os Chargers vão seguir caminhos diferentes, e os Oakland Raiders vão-se tornar os Las Vegas Raiders. A próxima temporada da NFL será muito diferente daquela que agora terminou, mas é isso que a mantém interessante.

Baltimore Ravens, Kansas City Chiefs e San Francisco 49ers têm as peças necessárias para controlarem a liga no futuro próximo, jovens cheios de potencial como Joe Burrow, Chase Young ou Tua Tagovailoa vão entrar na liga e trazer toda a sua irreverência, e a centésima primeira época promete muito.

No entanto, nem tudo foi bom. O incidente entre Myles Garrett e Mason Rudolph manchou a temporada, e, apesar dos castigos terem sido determinados e cumpridos, a marca deixada irá ficar na mente de adeptos, jogadores e dirigentes, pelo menos nos próximos anos.

Chega ao fim mais uma época, 100 anos desta liga fantástica que não mostra sinais de abrandar. E agora que venham mais 100!

Foto de Capa: NFL

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários