Terceiro Período: O candidato surpresa.

Cuidado, Lightning! Há um novo Sheriff na Divisão Atlântico. Desde de Dezembro que a melhor equipa da NHL mora em Boston. Desde o dia 18 desse mês, os Bruins têm 21 vitórias em 26 jogos. E pensar que, há pouco tempo, olhávamos para a Divisão Atlântico como um assunto resolvido. Os Lightning só teriam que esperar o adversário que saísse do inferno da Divisão Metropolitana. Agora as perspetivas viraram-se de cabeça para baixo. São as equipas da Metropolitana que dão graças por Lightning e Bruins estarem obrigados a defrontarem-se, o mais tardar, na segunda ronda.

Patrice Bergeron, uma das principais razões para o sucesso dos Bruins Fonte: NHL
Patrice Bergeron, uma das principais razões para o sucesso dos Bruins
Fonte: NHL

Para isto muito tem ajudado ter uma das melhores linhas do mundo. O trio composto por Patrice Bergeron, Brad Marchand e David Pastrnak domina sempre que está no gelo. Em 360 minutos de 5-contra-5, marcaram 22 golos e sofreram apenas 7. Com uma linha tão boa a defender e a atacar é fácil perceber o sucesso dos Bruins. Patrice Bergeron caminha a passos largos para conquistar o quinto Selke da sua carreira. Há até quem ache que ele mereça consideração para o Hart. Jeff Blashil, treinador dos Detroit Red Wings, disse que Bergeron tem sido o melhor jogador na NHL esta temporada. A discussão não é disparatada. Bergeron é o motor que faz andar esta equipa, mas há uma coisa que ele não faz tão bem: marcar.

Para ser candidato precisa de subir na tabela dos pontos. Para já, Bergeron tem 49 pontos em 49 jogos, suficiente para a 35ª posição na lista dos melhores pontuadores. Quando temos jogadores no topo dessa lista com mais um terço dos pontos, é difícil vê-lo como mais do que um outsider. O mesmo não se pode dizer dos Bruins. Há que levar muito a sério esta equipa. Para além da já mencionada linha, ainda têm um Rask de volta ao seu melhor, um Chara que desafia o tempo e dois diamantes em bruto, David Pastrnak e Charlie McAvoy. Quem diria que os Bruins, depois dos sinais de declínio nas últimas duas temporadas, voltariam tão rapidamente ao patamar mais alto da liga. Voltando ao primeiro período, são histórias como esta que fazem com que seja tão difícil tomar a atitude que os Rangers tomaram. São histórias como a dos Bruins que fazem acreditar em mudanças rápidas de paradigma. Mas, para isto acontecer, é preciso muita coisa. É preciso ter jogadores especiais como Bergeron e encontrar diamantes como McAvoy. E isso nem toda a gente tem.

Fonte: NHL

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro