Cabeçalho modalidadesO Circuito Mundial de Padel começou. Entre o dia 26 de Março e 2 de Abril, o mundo pode assistir ao Santander Open 2017, onde brilharam grandes duplas em competição.

No primeiro dia do torneio, constavam do quadro de inscritos 12 portugueses – seis masculinos e seis femininos, sendo que, à excepção de Bernardo Bastos e Sebastião Mendonça e Diana Silva e Marina Figueiredo, todos os outros portugueses jogam com parceiros estrangeiros.

A participação portuguesa pouco durou, apesar da qualidade demonstrada em campo pelos jogadores nacionais. Vasco Pascoal, Miguel Oliveira, Diogo Schaefer entraram a ganhar no WPT 2017, em Santander, com um bom nível de Padel, não defraudando as expectativas dos apoiantes portugueses. Já Sebastião Mendonça e Bernardo Bastos, detentores de wild card, jogaram juntos a primeira ronda da pré-prévia, estreando-se e torneios do Circuito Mundial, fora de Portugal, mas acabaram derrotados, embora apenas em 3 sets – bom cartão de visita dado pela dupla nacional, apesar de nervoso, e que, na minha opinião, assinou a promessa de melhores resultados futuros.

Na ronda seguinte, Vasco Pascoal acabou por perder, em três sets, ditando esta derrota o afastamento da prévia, e consequente fim de um promissor percurso neste Santander Open 2017. Dia de azar para o Padel português, com Diogo Schaefer e Miguel Oliveira, outro grande talento da modalidade, em Portugal, também derrotados e afastados da competição.

Mantinha-se a esperança depositada no número um do ranking nacional, Diogo Rocha (que entrou apenas mais à frente no quadro), para tentar o apuramento para o quadro final do torneio. No entanto, Diogo Rocha acabou por perder a partida que disputou e Portugal não foi além da prévia. Assim, a grande esperança portuguesa no torneio masculino não foi capaz de demonstrar o seu melhor Padel e deu por encerrada a participação nacional masculina no primeiro Open do WPT 2017.

Anúncio Publicitário
diogo rocha padel
O número um nacional era a grande esperança masculina para este torneio.
Fonte: Diogo Rocha

No torneio feminino, Sofia Araújo venceu o seu primeiro jogo, precisando apenas de dois sets e mostrando que, apesar da entrada recente no Circuito Mundial, promete ser uma garantia de qualidade para o Padel feminino. Filipa Mendonça também entrou a ganhar, ao contrário de Margarida Fernandes, Marina Fernandes e Diana Silva, que acabaram derrotadas na primeira ronda.

Ana Catarina Nogueira, à semelhança de Diogo Rocha, começou mais à frente no quadro, registando a melhor prestação portuguesa no torneio. A actual número 12 nacional surpreendeu o mundo, ao cair apenas nos 1/16 de final. A atleta tem provas dadas na modalidade e pode melhorar bastante o seu ranking, sendo uma jogadora a ter em conta e a acompanhar.

O balanço da participação portuguesa no Santander Open é positivo, embora haja potencial e qualidade para melhores resultados, que, a meu ver, se tornarão uma realidade neste Circuito.

Para terminar, e como nota a acrescentar à boa prestação dos portugueses, de destacar que o torneio foi ganho, nos masculinos, por Francisco Navarro / Carlos Daniel Gutiérrez, que derrotaram, na final, Fernando Belasteguín / Pablo Lima e, nos femininos, por Ariana Sánchez Fallada / Marta Ortega.

Foto de capa: WPT