Cabeçalho modalidadesArrancaram ontem os jogos da primeira ronda do Lisboa Challenger, perante um Clube VII relativamente composto a nível de espectadores. Os fãs portugueses da modalidade reuniram-se, ao final de uma tarde quente, em torno do Campo Central para ver jogar os portugueses ainda em prova – Vasco Pascoal e Miguel Oliveira, que actuaram como dupla, e Diogo Rocha.

Havia, entre os adeptos, uma certeza de qualidade dos jogadores nacionais, que poderiam sair vencedores dos seus encontros. Vasco Pascoal e Miguel Oliveira defrontaram o espanhol Christian Fuster e o brasileiro Francisco Gomes, uma dupla que era teoricamente de nível um pouco inferior à portuguesa e que poderia cair nesta ronda.

No entanto, não foi o que aconteceu. A dupla visitante venceu o encontro por 6/4 6/3, eliminando Vasco Pascoal e Miguel Oliveira, que viram, assim, terminada a sua participação no torneio lisboeta. Apesar de terem entrado fortes na partida, com uma estratégia táctica claramente delineada e preparada, não foram capazes de se impor, nem de se colocar no comando da partida. Visivelmente desiludidos pelo fim do sonho de vingar no torneio e por não terem conseguido demonstrar o seu melhor Padel perante amigos, família e fãs – foi assim que terminaram o encontro.

Anúncio Publicitário

A esperança nas bancadas estava enfraquecida, mas não tinha desaparecido. Diogo Rocha jogou a seguir, já bem ao final da noite, no mesmo campo, e inverteu a tendência de derrotas portuguesas. A jogar ao lado do espanhol António Luque Aragón, Diogo Rocha fez um grande jogo e garantiu a presença nos oitavos de final, em menos de uma hora, após um resultado de 6/3 6/4, perante os argentinos Cristián Gérman Gutiérrez e Aris Patiniotis. A dupla visitante não teve grandes hipóteses de se impor, revelando-se refém do jogo de Diogo Rocha e do seu parceiro, mas nunca desistiu de lutar, tentando adiar o fim do encontro.

Fonte: Diogo Rocha
Diogo Rocha venceu a sua partida e manteve a esperança dos adeptos portugueses
Fonte: Diogo Rocha

Diogo Rocha voltou a mostrar que é um jogador psicologicamente forte e que merece ser seguido com atenção e tido em conta, não só no Padel português, como também no Circuito Mundial. Hoje, joga pelas 21h30 (se não houver atrasos nos horários previstos), contra Rúben Rivera e Gerard Company. Deste lado, esperamos mais um bom jogo e que siga em frente para mais uma ronda do Lisboa Challenger.

Foto de Capa: Lisboa Challenger

Artigo de Francisca Carvalho e Rodrigo Fernandes

Artigo revisto por: Francisca Carvalho