Cabeçalho modalidades

Uma vez mais o Complexo Desportivo de Setúbal engalanou-se para receber a final da Taça de Portugal. A partida opôs duas equipas em destaque na principal liga portuguesa, a Agronomia e o GD Cascais. Duas semanas depois de ser derrotada na final do campeonato, a Agronomia somou a Taça de Portugal à Supertaça que já tinha conquistado no princípio da época e igualou o SL Benfica com dez troféus – são as duas equipas com mais Taças de Portugal no seu palmarés.

O ano passado a mesma Agronomia também foi finalista da prova, na altura tendo perdido o troféu para o GD Direito. Este ano a história foi outra e muito por culpa de José Rodrigues, marcador de todos os pontos agrónomos na partida.

José Rodrigues foi o homem do jogo Fonte: João Peleteiro
José Rodrigues foi o homem do jogo
Fonte: João Peleteiro

Ao final dos primeiros trinta minutos de jogo a Agronomia já liderava por 10-0, após o abertura José Rodrigues marcar um ensaio convertido e um pontapé de penalidade. Pouco depois da meia hora de jogo foi a vez de Jared Page, defesa do GD Cascais, fazer aquele que seria o único toque de meta cascalense na partida e reduzir a diferença para 10-5. Quatro minutos bastaram para a formação da Tapada ampliar de novo a vantagem, com nova penalidade convertida e sair para o intervalo a vencer (13-5).

Na segunda metade a partida perdeu alguma qualidade, mas o incontornável José Rodrigues ainda aproveitaria para marcar nova penalidade. A resposta da equipa de Tomaz Morais não tardou a aparecer e, minutos depois, seria a vez de Franco Correa voltar a colocar a diferença em oito pontos (16-8), resultado esse que não viria a sofrer novas alterações.

Anúncio Publicitário

Foi uma forma justa da Agronomia terminar a excelente época realizada: depois de conquistar a Supertaça, ser derrotado (de forma dramática) na final do Campeonato, juntou agora mais uma Taça de Portugal no currículo, e tudo isto no primeiro ano sob o comando do ex-seleccionador Frederico Sousa. Até onde poderá ir a Agronomia?

Foto de Capa: João Peleteiro

 

Comentários